campanhas / 9 de novembro de 2012

O processo de aprendizagem alimentar: da teoria à experiência prática

Texto de Elisabete Gonçalves Silva Cabrera*

Fonte da imagem: http://tinyurl.com/bjh8yot

O processo de aprendizagem alimentar inicia-se no nascimento por meio das experiências vivenciadas pela criança. Tais experiências são influenciadas por fatores ambientais, culturais e psicossociais. O contexto social exerce um papel fundamental no processo de aprendizagem: de um lado estão os pais, que podem lançar mão de técnicas adequadas ou inadequadas para passar aos filhos o conceito de alimentação, tendo influência direta sobre a formação de preferências e hábitos alimentares. De outro lado está a mídia, bombardeando de forma desenfreada propagandas de alimentos de alta densidade calórica e pouco nutritivos, vendendo a ideia de praticidade e conveniência.

É importante salientar que a mídia tem um poder persuasivo muito grande que atinge não somente as crianças, mas também os adultos, tanto no nível do consciente quanto do inconsciente. É aí que está o perigo, pois os pais ou responsáveis deveriam exercer o papel de mediadores diante deste público que ainda não tem a capacidade de discernimento para formar opinião própria. No entanto, esse bombardeio deseduca os próprios pais.

Esse panorama motivou-nos a desenvolver um trabalho intitulado “Saúde, Nutrição e Psicologia – Refletindo o comportamento alimentar”. O objetivo é alertar e despertar um senso crítico nos pais de crianças atendidas em centros de educação infantil do município de Ferraz de Vasconcelos.

Atuamos junto a comunidades carentes. Essas comunidades não são apenas carentes de “pão”, mas também de informação acerca de alimentação saudável – e são bombardeadas todos os dias pela publicidade desleal e rotuladora.

Através desse trabalho, enfatizamos a importância da formação de um hábito alimentar saudável desde a mais tenra idade, mostramos a influência do marketing sobre o subconsciente das pessoas e destacamos a importância de uma visão crítica com relação aos conteúdos transmitidos pela mídia no que concerne à nutrição, e alertamos também sobre a questão do consumismo em geral.

Primeiramente todos assistem uma palestra sobre alimentação saudável, sua importância e como compor um cardápio balanceado dando ênfase ao proposto na pirâmide alimentar, respeitando cada fase da vida. Em seguida, apresentamos os riscos que os produtos industrializados em excesso e o sedentarismo provocam, citando doenças crônicas como obesidade, dislipidemias, diabetes etc.

Esse projeto vem rendendo bons frutos, pois há uma troca muito importante com o público, que traz suas experiências, seus anseios e dificuldades em lidar com a exposição dos filhos à mídia. Expomos em vidrinhos as quantidades de açúcar, gordura e sódio presentes em alguns produtos industrializados, tais como biscoitos recheados, macarrão instantâneo, refrigerantes, balas etc. Abordamos os excessos muitas vezes praticados e chamamos atenção para as embalagens coloridas com figuras atraentes, algumas inclusive com figuras de personagens infantis, e cujas quantidades de sódio ultrapassam as recomendações diárias adequadas para um adulto – que dirá então para uma criança. Estimulamos também uma reflexão quanto às estratégias de marketing, destacando o uso de personagens famosos, celebridades, brindes e a manipulação que as empresas exercem para atrair principalmente o público infantil.

Fechamos o ciclo com uma roda da conversa onde todos têm liberdade para expor suas dúvidas e experiências, e oferecemos algumas sugestões para uma alimentação saudável com receitas e degustação de produtos caseiros.

Acreditamos que, em conjunto, o poder público, a sociedade civil e a comunidade científica podem trabalhar para reverter os conceitos errôneos passados às famílias pela publicidade, educando novas gerações despidas de rótulos e livres do consumismo excessivo.

Referências:

Desenvolvimento do comportamento alimentar infantil
Autoras: Maurem Ramos, Lilian M Stein
Retirado do Jornal de Pediatria.
Propaganda e Marketing na informação nutricional
Autoras: Emília Y. Ishimoto e Márcia de Araújo Leite Nacif
Brasil  Alimentos

*Elisabete é nutricionista e mãe, e está fazendo a sua parte para construir um mundo melhor


Tags:  nutrição infantil publicidade de alimentos publicidade de alimentos publicidade infantil

Bookmark and Share




Previous Post
Para conhecer os vegetais é preciso viver com eles
Next Post
Muito além do absurdo



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Para conhecer os vegetais é preciso viver com eles
Texto de Renata Kotscho Velloso* Todos os anos, no mês de outubro, as escolas americanas têm uma semana voltada para...