Monster High: é só um brinquedo! Será?

Texto de Patrícia Grinfeld*

monster high

[continuação daqui]

É só um brinquedo! Será?

Não tenho dúvida de que a imaginação de uma criança é ilimitada. Uma boneca-bebê pode ser o monstro da brincadeira e uma MH pode ser ninada como um bebê. Mas o tal do enredo pronto parece limitar a imaginação. Basta olharmos para um brinquedo industrializado, que carrega uma historinha previamente contada (ou algum deles chega à criança sem propaganda?) ao lado de um brinquedo artesanal, sem enredo, e testar em qual deles nossa imaginação voa mais longe.

O fabricante das MH tem como slogan: “A gente cria, seu filho imagina”. A mim, soa como uma tremenda desvalorização da capacidade criativa da criança. Se alguém cria para a criança, como ela poderá inventar e transformar? Como ela aprenderá a encontrar soluções, resolver conflitos, lidar com as diferenças – em sua vida atual e futura?

Quando a coisa vem pronta deixamos de ser sujeito e passamos a ser objeto – de uma indústria, de um modelo, de uma fala. Perdemos nossa potência, ficamos frágeis. Um tanto como as MH. As diferenças deixam de existir (todos ficam iguais: monstros ou Barbies).

Duplas mensagens que merecem atenção

Não podemos ignorar que a criança, sozinha ou entre seus pares, não consegue processar as mensagens subliminares contidas no brinquedo e no consumismo. Mensagens que carregam os valores de uma cultura – nem por isso, os melhores para se construir uma sociedade mais justa, com menos desigualdade e violência (ao outro e a nós mesmos).

monster high parte 2

*Imagem daqui

Quando observo uma MH, não consigo ver apenas a exuberância de suas cores e roupas, cabelos sempre arrumados, maquiagens e acessórios deslumbrantes. Em comparação a qualquer outra boneca, vejo olhares tristes e corpos que parecem que vão quebrar a qualquer momento. Não é porque são monstras que precisam ser tristes e frágeis; aliás, os monstros só são assustadores porque se apresentam mais fortes do que nós.

Como as crianças se identificam com personagens não apenas para projetar suas histórias e anseios (e consequentemente elaborar medos e conflitos), mas também por aquilo que têm em comum a eles, fico pensando se parte do sucesso das MH não está relacionado à identificação das crianças e adolescentes com essa tristeza e fragilidade apresentadas pelas bonecas. Tristezas e fragilidades fazem parte da vida, só são patológicas em casos extremos, mas acredito que elas precisam ser consideradas.

Para finalizar, não posso deixar de mencionar que me chama atenção o fato de as MH carregarem o tema da morte (afinal, tem caveira no logotipo e até cama-caixão para a boneca dormir), mas esse tema não aparecer em nenhum texto que li sobre elas ou nos comentários deixados no meu outro texto. Parece-me que aqui reside outra dupla mensagem: de que a morte pode ser estampada nos adereços da boneca, mas, como em nossa cultura, deve ser silenciada. Que paradoxo! Se existe uma única coisa que nos iguala, é que somos todos mortais. Quem sabe, podemos aproveitar a boneca para colocar nas rodas de conversas com crianças esse tema que não nos escapa. A morte, assim como o padrão de beleza atual, a anorexia infantil, o brincar induzido, as tristezas, as fragilidades e as diferenças são “monstros” que precisamos encarar. E só conseguiremos fazer isso se o debate sobre o modelo que impera não for tomado como um ataque pessoal, mas como uma questão sociocultural.

*Patrícia é 2x mãe, psicóloga e escreve no blog Ninguém cresce sozinho

v


Tags:  brinquedo consumismo infantil Monster High

Bookmark and Share




Previous Post
Monster High: uma falha, uma reflexão
Next Post
Quem Somos



Mariana Sá




You might also like




19 Comments

Feb 17, 2014

Como diz Jack o Estripador vamos pôr partes.

Tese interessante pois mesmo os brinquedos educativos ou ate os incríveis legos fazem isso, mais parecem ensinar a seguir instruçoes a criar uma peça.

As bonecas monsters estão sempre sorrindo, seus corpos seguem as ridículas idéias de que uma mulher deve ser seca e sem gordura, tendência que surgiu na Barbie que segundo médicos se fosse uma mulher nem tem como Ter órgãos internos e vamos ser realistas, ninguém fabrica uma boneca que seja mais realista pois ela não venderia.

Tristeza é parte da vida, ou será que coisas ruins não acontecem? Se as monsters fizessem o papel de preparar as crianças para tristezas e fragilidade seria ótimo pois a vida tem muito disso, pôr sorte elas ensinam as crianças a Ter o maior numero de amigos pôr perto não importando a aparência(será que elas combatem o bullying?),mas elas não preparam, em seu lugar só vejo uma sociedade cada vez mais despreocupada com os problemas dos seus semelhantes e que cada vez mais exigem de cada um mais daquilo que cada um tem, Ter esperança onde não existe.

Pôr mais que seja triste a morte é uma parte da vida, uma coisa que deve ser vista, mas não totalmente tolerada, pois se ela for tolerada para que remédios melhores e tratamentos para viver mais e melhor, mas não menos deva ser considerada um tabu, pois nestes tabus que nascem os medos do pós morte como fantasmas e zumbis, coisas que não existem mas que podem atormentar as crianças, tenho uma prima que tem 12 anos e que tem medo do bicho papão. A morte é a única ligação que une cada pessoa no planeta sem duvida, mas porque devemos ficar tristes ou com medo? Muitas dessas dietas da moda e tratamentos radicais foram criadas como forma de se estender a vida e a saúde, e deixar suas praticantes com corpos que parecem secos (a monster high que é uma múmia tem ate mais corpo que muitas topmodels pôr ai), uma forma de explorar um medo que não devia ser classificado como menos do que paranóico, mas estão ai,.

Concordo que as monster podiam ganhar uns 5 quilos cada mas mesmo assim e pôr mais que doa dizer, sou uma vitima dessa moda de corpos magros e sem curvas pois eu tenho 120quilos mal distribuídos que me impedem de comprar uma jaqueta que to namorando a 2 meses, que eu não sei porque o fabricante não aceita encomendas sobre medida, mas isso não é motivo para as crianças não tomarem cuidado, pois obesidade infantil existe, esse é sim o verdadeiro monstro que não faz crianças felizes.

Não sou fã das monster high, mas gosto de pôr minha armadura e sair galopando com minha espada em punho quando vejo uma princesa em perigo, a princesa é minha sobrinha que ama de todo o coração as monster e se ela pudesse ela fazia o mesmo.


    Feb 17, 2014

    O problema não é o amor, mas a paixão que cega!


Feb 24, 2014

Interessantíssimo! Como um difusor, esse seu texto vem pra lucidar aqueles que “engravidarão” só pelos ouvidos. Simples, objetivo e direto no que se trata quando a cultura dada pelos pais deveria ser a grandeza de brincar, e não do que o brinquedo pode oferecer. Com tudo isso, percebi que da mais trabalho para alguns pais pensar, observar e avaliar o que estão oferecendo a seus filhos, e, abreviando logo um pedido com um sim, e o resultado de tudo isso hoje é ouvirmos pais em reuniões escolares dizendo para a professora que seus filhos terão que se explicar com a psicologa deles sobre o mal comportamento e suas notas vermelhas e tantas outras coisas…
E como não poderia passar em branco essas bonecas MH, ainda vem adornadas por caveiras que representa o “simbolo da igualdade”. Andei pesquisando sobre a caveira, e o que dizem é que a igualdade que ela representa entre: negros, asiáticos, budistas, judeus, cristãos e ateus que todos somos esqueletos, ou seja, “iguais”.
Que conceito mais limitado e pobre! Um conceito unilateral, que deixam esses desapercebidos que não dá pra globalizar uma igualdade a onde a história de uma caveira não se resume só na parte física, mas na história em que ela deixou, seja ela de um Serial Killer, de uma Richthofen, de um Beethoven, até mesmo de um Gandhi. É certo de que as pessoas estão como um tamborvazio, muito barulho por fora e vazio por dentro!! Mas isso sintetiza como uma frase sua Patrícia, que já diz tudo “ser diferente entre os iguais não é ser diferente, é disfarce!”
Por que como pode uma pessoa desfilar com uma bandeira de igualdade, sendo ela, absurdamente diferente. Deus conserve seu brilhante entendimento.
André Barbosa, pai de 3 pedras preciosas que adornam minha coroa. rsrs


    Mar 02, 2014

    André,
    O mais triste quando um adulto não para pra pensar é que ele não dá à criança a chance de também pensar, ser crítica e fazer escolhas. Daí o vazio por dentro…


Mar 03, 2014

Já coloquei este site nos meus favoritos XD.
É ótimo para dar boas risadas,um bom site de humor.
O mais divertido é caçar pérolas,esse site tem várias delas…


    Mar 05, 2014

    Sim, muitas pérolas, inclusive nos comentários! 😉 Obrigada pela visita!


Sep 15, 2014

Monster high: maldição e comércio

Está em exposição no Shopping Iguatemi – Porto Alegre/RS o evento “Monster High – Uma brincadeira monstruosa”, eu tive a oportunidade de estar passando perto do local um dia desses e foi triste o que presenciei.
Muitas meninas brincavam, enquanto suas mães conversam nos banquinhos projetados exatamente para isso: alienação em relação a toda aquela situação. Não é uma brincadeira qualquer, trata-se de um circuito de brincadeiras, em que as crianças só podem sair depois de fazerem todas as atividades ali propostas. Algumas coisas me chamaram a atenção:

• A recepção é composta por caixões rosas e roxos;
• Todo ambiente é cheio de caveiras e trazem uma idéia de morte e tristeza;
• Embora estivessem “se divertindo” as meninas não pareciam estar verdadeiramente felizes, como quando estão em uma praça correndo com a família, na praia ou no parque (esse foi o meu olhar);
• O juramento feito pelas meninas (foto no link abaixo). A cena era essa: as meninas ficam em um palquinho montado com a mão em posição de juramento e repetem as palavras faladas pela orientadora.

http://www.monsterhigh.com/pt-br/monster-high-pledge.html

Gostaria de ressaltar algumas coisas ditas nesse juramento que parece algo tão inocente, se você não pensar:
1°) Como nova membro do MH, as meninas serão normais e estarão “por fora”, no meu entendimento isso é estar alienada ou fora da realidade, levando em consideração que aqui é como se a criança estivesse saindo desse mundo para outro mundo, estando sujeita então, as forças do outro mundo e se submetendo à elas, já que recebem como que com os braços abertos os ensinamentos e mandamentos desses espíritos (monstros);
2°) Na segunda parte elas se alegram com suas imperfeições, ao contrário do que os pais tentam ensinar aos seus filhos, não sou mãe, mas TODAS AS MÃES que conheço procuram na medida do possível, lidar e entender os erros dos filhos, nunca dizendo apenas ‘’SIM’’, do contrário, eles cresceriam e se tornariam adultos incontroláveis em seus desejos. Estou errada? Não que as crianças não devam amar a si mesmas, elas devem amar a si mesmas do jeito que foram criadas por Deus, mas o papel dos pais também é identificar defeitos e ensiná-los a combatê-los e não se alegrar com eles…
3°) Depois, se alto declarando “monstra”, elas dizem que serão autênticas e únicas, essa idéia de ter identidade é muito boa, porem, logo depois, elas dizem que serão Monster High, ou seja, depois de receber em seu mundo, as espíritos que garantem a elas que suas imperfeições devem ser celebradas, elas dizem que serão um personagem. Então onde está a autenticidade? A conclusão é dizendo que com o mesmo espírito se une a outras meninas para dizer que recebem o ideal desse personagem.

Depois dessa declaração elas pulam com as mãozinhas para cima enquanto os adultos batem palmas.
E minha reflexão é exatamente o papel dos pais na formação de seus filhos, não precisa ser um pai/mãe cristão para proteger os filhos do mal e se vocês não acharam que essa declaração traz maldição para seus filhos, então eu não sei o que faz… Como você vai educar seus filhos a arrumar a cama, fazer o dever de casa, não roubar as coisas dos coleguinhas depois de levar ela a declarar que ama seus defeitos? E quando ela gritar com você, o que você dirá?

Além de toda apelação sexual que essas bonecas tem com maquiagens pesadas e roupas inadequadas para meninas de 6 a 12 anos… Corpos humanamente impossíveis, é gritante o consumismo que elas levam as crianças a praticarem, o incrível é toda propaganda feita em todos os elevadores do Shopping sobre o evento. As orientadoras ficam em todos os lugares chamando as meninas para tirar uma foto e visitar o circuito de brincadeiras… Tudo em favor de uma marca que proclama um reinado de monstras de outro mundo que seduzem meninas a serem não apenas parecidas, mas sim UMA DELAS!

Escrevo, como uma denúncia e ajuda para adultos que não tenham percebido a seriedade dessa brincadeira, que talvez ainda não tenham percebido essa manipulação das trevas para tragar a vida e inocência de suas filhas, vocês são os responsáveis pela educação delas, por qual caminho vocês as levarão? O que esperar do futuro de suas filhas que fazem essas declarações e são fortemente influenciadas por esse ideal de “Monster High”?

Deus deu a vocês uma herança, cabe a cada um cuidar e ensinar:

Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá.
Salmos 127:3

Pensem bem o que vão fazer com suas heranças, guardem, protejam… não deixem que a mídia influencie seus pensamentos, e as transformem em “monstras”.


    Apr 04, 2015

    APLAUSOS! certamente vc tem toooooooooooda razao! essas bonecas sao uma forma das trevas manipularem uma criança! pouco me importo com os seres inacreditáveis q julgam a opiniao de MH ser das trevas! ok q cada um de nós tem sua opiniao mas poxa,boneca MH?! tanto brinquedo BOM pra se comprar! por exemplo:as Ever After High. acabou de lançar exclusivamente na NETFLIX eu assisti e amei! MUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUITO MELHOR DO Q ESSAS MH! PODEM XINGARE COMENTAR TEXTOS INÚTEIS! TO NEM AÍ! tenho minha opiniao e VC a sua entao deixem q digam oq quizer! PRONTO FALEI!


Nov 17, 2014

olha n tm nada a ver para de ficar inventando essas coisas

eu tenho uma e nunca aconteceu nada


    Jan 07, 2015

    tb acho tenho elas e sempre fui feliz 🙂


    Jan 07, 2015

    tb acho tenho elas e sempre fui feliz,e sempre gostei bastante de brincar com elas 🙂


Dec 22, 2014

Deus me livre de ter uma boneca dessa em casa me poupe eu prefiro ficar sem brinquedo do que ficar com o capeta


Jan 13, 2015

Primeiramente uma boa tarde Patrícia Grinfeld, li suas três matérias sobre as monsters high, não pude deixar de notar sua preocupação como mãe e como individuo social , mas também sua humildade em admitir no segundo texto seu pouco conhecimento sobre as bonecas , gostei muito da reflexão e questionamentos sobre elas e sim devemos questionar e problematizar para buscarmos respostas e conhecimento. Bom, vou me apresentar sou professor de artes, pesquisador, pós graduado e artista visual,” Izzy” é apenas um pseudônimo, trabalho com crianças em projetos sem fins lucrativos, incentivando a leitura, socialização através de atividades lúdicas sempre relacionadas a aos livros infanto juvenis contemporâneos e contamos com o auxilio de staffs e pedagogas, gostaria de saber se tu tens outros artigos e textos sobre esse assunto, meu interesse é grande já que eu pesquiso sobre a evolução da boneca sobre o viés da arte, gênero, educação e afetividade. Concordo em alguns pontos como a boneca pode funcionar como um instrumento “educador”, discordo em outros sobre a boneca industrializada tolher a criatividade e imaginação, pesquiso e faço leituras possíveis da customização dessas bonecas(Pop Art) , a desconstrução, “reconstrução” e “reinvenção” de formas, valores e significados…sim alem das crianças e adolescentes não estarem satisfeitas com as “diferenças e imperfeições que vem de fabrica” elas buscam através da customização saciar algo intero e isso vai mais longe talvez na busca da sua identidade como individuo. Concordo contigo no ponto que não devemos fechar nossos olhos enquanto pais e responsáveis e sim devemos resinificar o papel da boneca, pois elas sempre existiram desde os primórdios e a função delas pouco mudou. Não vejo a boneca em si como um vilão, mas toda a ação marqueteira por trás e as leituras e as interpretações equivocadas e por vezes cheias de misticismo. As vezes uma boneca é só uma boneca e como seres simbólicos vamos sempre tentar atrelar algum significados e “pré conceitos” para compreender as coisas que nos são estranhas ou trazem uma cultura estrangeira e até”exótica ” para ficarmos mais a vontade com aquilo que nos foge do “ideal de normalidade” …bom tu es psicologa e quem melhor do que tu pra saber disso. Ja viste o desenho e o enredo? Se passa no colegial com meninas aparentemente de 16 anos é engraçado que o contexto teen (adolescente) é tão fascinante para crianças de apenas 5 anos e alguns adultos também, mães que colecionam e gostam mais que as próprias filhas . Gostaria tanto de trocar figurinhas contigo, pois estudo esse “grande Boom” das dools no passado e presente. Um grande beijo!! Aguardo resposta!


    Jan 20, 2015

    Izzy, agradeço a leitura e a dedicação em fazer um comentário tão rico, e peço desculpas pela demora em te responder. O que escrevi sobre a qualquer relação de consumo você encontra aqui no blog. Quando digo que a boneca que vem com um enredo pronto tolhe a criatividade, digo isso porque ela não existe sozinha enquanto uma boneca. A boneca é a boneca acrescida de toda publicidade e demais produtos que a acompanham. As crianças desejam tanto aquilo que lhe é bombardeado, que não consegue buscar algo diferente do que lhe é anunciado. Isso não é criativo, muito pelo contrário. Uma boneca sozinha, não importa se feita com sabugo de milho, retalhos, porcelana, plástico, simples ou sofisticada, estilizada ou não, sempre permitirá a criança brincar, imaginar, sonhar, elaborar seus conflitos. Acho que estamos falando a mesma coisa… Me preocupa crianças aos 5 anos ficarem tão fascinadas pelo universo teen, e suas mães também. Hoje, percebe-se que o grande desejo da maioria das crianças é se tornar adolescente e de muitos adultos permanecer na adolescência. Acho que aí existe um limite muito tênue entre o que é o fascínio, encantamento pela boneca enquanto um objeto colecionável, bacana, lúdico e o quanto este mesmo fascínio revela essa realidade que vivemos. Abraço.


Jun 22, 2015

EU NAO ACHO QUE A MONSTER HIGH SEJA UMA COISA RUIM, ALIAS É SÓ UMA COISA FEITA DE PLASTICO E OUTROS MATERIAIS E ELAS NEM TEM VIDA, E SE VC ASISTIR O FILME A MAIORIA DAS PERSONAGENS SÓ QUEREM AJUDAR UMAS AS OUTRAS E SE UMA UMA CRIANÇA SE SENTE DIFERENTE POR QUE NAO TEM UMA BONECA ISSO NAO QUER DIZER QUE A CULPA É DA BONECA, POR QUE TEM VARIAS OUTRAS TECNOLOGIAS QUE SAO BEM PIORES DO QUE UMA BONECA, QUE VICIAM, E ATÉ FICAM COM DOENÇAS, E AS BONECAS FORAM ENVENTADAS PARA A DIVERSAO DAS PESSOAS, OU VC QUERIA BRINCAR COM PEDRAS?
EU TENHO UMA MH E SOU MUITO FELIZ ATÉ POR QUE CONSEGUI TER UMA COISA QUE EU QUERIA, E EU NAO ACREDITO QUE ELAS SEJAM AMALDISUADAS E NEM TENHO MEDO POR QUE SEI QUE ELAS NAO VAO SAIR POR AI ANDANDO PARA ME PEGAR, E OUTRA ACREDITO EM DEUS E SEI QUE ELE VAI ME PROTEGER DE TODO O MAL. ESSA HISTÓRIA QUE AS MH SAO RUINS NAO É VERDADE ENTAO ANTES DE VC FALAR QUALQUER COISA TENHA PROVAS.


Sep 11, 2015

Olha quando eu era criança, minha Madrinha me deu uma boneca mas não era MH, era uma comum, um dia minha mãe foi me colocar para dormir, e a bneca tava deitada , ai ela se levantou sosinha, e olhou para mim e para minha mãe ai, ela deitou denovo!!!Eu fiquei paralisada, eu fiquei falando mãe a boneca se mexeu, mãe a boneca se mexeu!!!E a minha mãe falando ta ta ta!!Quando a minha mãe apagou a aluz, eu coloquei a boneca dentro do meu baú que era beliche!!!Hoje eu quero distancia de bonecas por isso que eu não tenho nenhuma boneca no meu quarto!!!!!


Nov 01, 2015

Monster high e apenas um desenho,nada mas assisto muito e amo os filmes lá tem vários ensinamentos oq tem vc dar uma bonequinha para sua filia e a frase “seja você mesma seja um monstro “esta falando para quem esta assistindo ser ela mesma e nao ir pela cabeça dos outros se achar superior a todos erguer a cabeça e seguir em frente ,e monstro nO e oq as bonecas são mais tambem poderia ser assim “seja você mesmo seja um humano do que adianta criar um site ante monster high ?no último filme de monster high BOO YORK ensina várias coisas assista algun dia vc vai entender do que eu estou falando e espero que mude sua cabeça em realça as monstrinhas,Frank,Dracu Laura,etc e pare de ser paranoica!!!!!!


Jan 04, 2016

Nossa nada a ver moça isso tudo por que não tem 100 reais para comprar a boneca e fica mendigando falando coisas sem pé nem cabeça vai caça oq fazer vai kkkk



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Monster High: uma falha, uma reflexão
Texto de Patrícia Grinfeld* No final de junho do ano passado vivi uma experiência pessoal com minha filha e as bonecas...