Sutiã com bojo, adultização da infância e por que nada muda

Texto de Débora Regina Magalhães Diniz especial para o Milc.

Esses dias recebemos uma imagem de um catálogo de lingerie com uma menininha de sutiã com bojo e colar de pérolas. É claro que todos nós fizemos os mesmos questionamentos: por que raios uma menina de 4 ou 6 anos precisa desse tipo de coisas? Olha a adultização da infância, a erotização precoce, que horror!!! Sim, essa é a fala de praticamente todo mundo. Fiz uma pesquisa rápida na internet e encontrei, aos montes, textos, estudos e matérias contra esse tipo de produtos. Então, se todo mundo concorda que adultização não é legal, por que itens como sutiã, salto alto e maquiagens para crianças continuam no mercado e, pior, vendendo muito?

produto

Jogue aqui a primeira pedra quem nunca comprou um batom pra filha ou um perfume de personagem para o filho. Porque eu acho muito difícil encontrar quem não tenha comprado (mesmo que sem pensar) ou ganhado qualquer uma dessas coisas (e quem já passou por isso sabe o quanto é difícil “arrancar” de uma criança). A questão é que acabamos sendo muito complacentes com nós mesmos e totalmente julgadores com o outro. “Jamais compraria um sutiã com bojo para minha filha!” – brada um pai que comprou um tablet para uma criança de 4 anos. Jogue também a primeira pedra quem nunca criticou alguma MÃE (porque na nossa sociedade machista a culpa é sempre da mãe, né?) que permitiu que a filha pequena posasse para o tal catálogo de lingerie ou para aquela marca de sapatos.

produto2É normal as crianças quererem imitar os adultos, brincarem de “gente grande”, é normal desfilar com as roupas da mãe, do pai, brincar com as maquiagens, com a espuma de barbear, com o celular. O que não é normal é a indústria do consumo ver nisso um filão de mercado e comercializar para crianças produtos que não deveriam fazer parte de seu universo, investindo pesado em licenciados e publicidade. Não é normal uma agência de propaganda produzir imagens de crianças em poses totalmente inadequadas, incentivando a erotização. E, apesar de ler aos montes que a culpa é dos pais que compram, que não dão limites, que levam seus filhos para as agências de publicidade e o blábláblá todo, eu volto à pergunta: por que esses produtos e imagens estão no mercado? Quem é que investe pesado para despertar nas pessoas o desejo de comprar tais itens? Quem fabrica? Quem divulga? Quem controla isso?

Porque, antes de culparmos quem compra, precisamos culpar quem faz. E nada vai mudar enquanto não houver uma regulamentação adequada e, mais ainda, enquanto as leis não se cumprirem! Porque o ECA está aí, o CDC está aí, a resolução nº 163/14 do CONANDA está aí – quem vai fazer valer? No dia em que respeitarem a regulamentação de produtos e publicidade direcionados às crianças, quando existirem sutiãs apenas para adolescentes e adultos e uma criança sair desfilando com um por aí, poderemos dizer que os pais são completamente “sem noção”. Até lá, não dá pra culpar quem compra um sutiã que está na sessão infantil das lojas.

para que raios um bebê de dois anos necesita de aro, cetim e renda?

para que raios um bebê de dois anos necessita de bojo, aro, cetim e renda?

Nota da Editora: leia mais sobre o uso de sutiã por crianças em Outras Palavras.

Imagem da web.

Na Câmara de Deputados está em tramitação um PL para vedar a produção e venda de sapato com salto para criança. Leia a notícia e veja a ficha de tramitação.

(*) Debora é mãe de três, cofundadora do Milc, cursou Letras e Semiótica. É doula e educadora perinatal há 10 anos. Atualmente vive no Vale do Paraíba e é uma das coordenadoras da Roda Bebedubem. É ativista e implicante com a sociedade atual desde sempre.


Tags:  adultização precoce criança criança e consumo erotização precoce mercado proteção à infância responsabilidade compartilhada

Bookmark and Share




Previous Post
Álcool na mídia: quem deve definir os limites da publicidade?
Next Post
O que as camadinhas escondem



Mariana Sá




You might also like




36 Comments

Jul 12, 2014

A grande mídia e a industria teimam em provocar a sociedade e famílias com a adultização da infância, como na matéria acima, e depois o jornalismo dessa mesma mídia, de forma hipócrita, combatem a pedofilia, quando eles mesmo fomentam situações entre crianças e a infantilização de adultos, fazendo proselitismo de erotização infantil.


Jul 13, 2014

Isso é estúpidamente desnecessário.


Jul 13, 2014

Faltou um link pra que se possa identificar a empresa responsável por esse crime…


    Jul 15, 2014

    link da loja


      Jul 15, 2014

      nós não vamos divulgar o link, espero que entenda.


Jul 13, 2014

Concordo em partes com seu texto. Acho absurdo esse tipo de sutian, tenho duas filhas na pré adolescência e é muito difícil encontar conjuntos que não sejam erotizados, com rendas, babados e bojos. Encontei em uma loja grande na cidade vizinha, com modelos básicos sem estampa e tenho que ir lá sempre comprar.
Discordo da comparação com batom, perfume, tablet. Porque é natural as meninas imitarem a mãe usarem nossos saltos, perfumes etc. Mas é dentro de casa e não na rua que isso acontece. Tabletes também pode ser configurados e conteúdo improprio bloqueado. Já o langerie, esse será usado fora de casa. Pra que fazer a criança parecer ter seios?


    Aug 19, 2014

    Acho que a questão não é o bloqueio só para sites impróprios. É, principalmente, o fato de que crianças não precisam de aparatos tecnológicos como um tablet ou mesmo um computador. Ajuda na escola? Sim. É um estímulo? Sim. Mas crianças vidradas em uma tela com trocentos recursos e acessos não é saudável, pelo mesmo motivo dos sutiãs de bojo: é uma adultização, um trajeto acelerado que não deveria ocorrer. Crianças não precisam de tablets.


Jul 13, 2014

Débora, sou prof universitária na área de infãncia e educação infantil e já faz algum tempo que vou a shoppings com minhas alunas para vermos e criticar os produtos para as crianças. Sobre os soutiens e calcinhas, o Renner comercializava para crianças de 2-3 anos, há bastante tempo atrás. É um horror esta pedofilização social.
abraço e parabéns pelo texto


Jul 14, 2014

Rô, tem um livro que se chama Linguagem das Roupas… É excelente! Ali aprendemos que cada vestimenta nos passa uma msg. Se vimos alguem de batina, sabemos que é um padre. Se alguem se veste todo de branco já nos passa que é da área de saúde. Se está de terno é um executivo ou advogado. Para conquistar alguem nos vestimos sensualmente e por aí vai…Se não me engano foi nele que li que os pais devem vestir seus filhos como criança, para não despertar atenção de pedófilos… Vestimenta é coisa séria… Identificamos a pessoa antes que ela abra a boca. Sou totalmente contra pais que usam roupas sensuais em meninas…


Jul 14, 2014

Vejo que tem muita gente com a cabeça no mundo da merda ou em qualquer outra coisa que não da para entender. Pois isso é normal crianças precisam de roupas como todos nos, coloca sua filha sem soutien andando na rua, seria bem pior ou não, coloca sua filha se calcinha andando na rua, então para que serve essas porras de de peças intimas então, para vocês dizerem que não pode usar ou tem idade para isso. Concordo em parte, pois a idade também influencia no que usar, mais se a mãe de uma menina resolve comprar uma peça dessa para ela e ela usar, qual o problema. Não é porque ela está usando isso, que quer dizer que ela vai ser estrupada ou algo do tipo, mais sim se ela estiver sozinha, onde não deve, com pessoas ruins e irresponsáveis por perto esse sim é perigo. A educação está em cada um e com os responsáveis de cada um, não adianta quererem mudar as coisa, o mundo evolui e com isso vem as coisas boas e ruins, ou querem voltar a mil anos atras onde não existia nada disso e bem melhor não existia pessoas assim que se doem por tudo e reclamam de tudo e onde realmente deve mudar não faz nada. Acho que estão fazendo algo errado na hora de voltar e escolher quem vai decidir por vocês, ou se acham ruim corram atras dos seus direitos sem precisar de ninguém ou de colocar algo na mídia, pois quem quer cuidar do que gosta toma conta do próprio nariz .


    Jul 15, 2014

    Wallace,
    pelo seu comentário, percebe-se que não leu o texto: uma criança sem peito não precisa de sutiã para andar na rua. Ponto!
    Aliás, com uma peça que coloca peito onde não tem o risco de uma violência sexual pode até ser maior. E este não é o único dano: existe também a abreviação de uma fase da vida que é fundamental na formação do sujeito.
    Peço que releia o texto. Se possível vá no texto anterior para ver que estas peças estão sendo ofertadas para bebês de dois anos! Não é evolução, é criação de uma fatia de mercado.
    Saudações maternas,
    Mariana


    Jul 17, 2014

    Wallace,
    a palavra sutiã na forma em Português vem do Francês SOUTIEN-GORGE, literalmente “sustenta-seios”, onde a primeira palavra quer dizer “sustenta” e a outra se usa para “seios, colo”. Por que motivo então uma menina de 4 ANOS


      Jul 17, 2014

      que obviamente ainda não tem mamas precisaria de um sutiã? Por que uma criança de 4 anos não pode sair de casa sem usar sutiã? Você não consegue perceber que a situação aqui é exatamente o contrário do que você entendeu? Uma menina de 4 anos não deveria chamar a atenção de ninguém sexualmente, mas é justamente isso que acaba acontecendo quando o guarda-roupas de nossas meninas é cada vez mais erotizado, e cada vez mais cedo!


    Jul 11, 2016

    O imbecil aí acha normal criança de 4,8,12 anos usando sutiã com bojo e rendinha?
    Sinto cheiro de pedófilo no ar… Tinha que ser homem mesmo!


Jul 15, 2014

[…] vê cosméticos para crianças nas prateleiras de lojas e farmácias. Esse fim de semana li uma matéria contando que estão confeccionando sutiãs com bojo para meninas a partir de 2 anos. Fiquei em choque! Isso é tão absurdo por inúmeras razões. Fora o fato de ser completamente […]


Jul 15, 2014

Sutiã com com bojo para crianças, é antes do consumismo uma forma de erotização precoce de um ser que não conhece o termo erótico. Submeter uma criança inocente a usar uma peça que deveria sustentar seios onde não há, torna-se um perigo para o seu desenvolvimento e segurança, uma vez que se torna um alvo mais acessível aos predadores sexuais que as manipulam para cometerem o abuso. Sou professor e já tive a experiência de ver uma aluna de 8 anos (raquítica) ir à sala de aula usando sutiã, no momento em que percebi que isso a estava incomodando pedi a ela que retirasse, mas ela se recusou dizendo que sua mãe insistiu em usá-lo. Ou seja, a família contirbui em muito para este comportamento e é difícil encontrar uma forma de combatê-lo.


    Jul 16, 2014

    Ivanílson,
    Queria saber se o encaminhamento foi conversar com a família.
    ats,
    Mariana


      Jul 23, 2014

      Na verdade, a mãe entendeu o recado pelo que eu falei com a filha dela. Depois disso, se aproximou mais comigo e hoje somos amigos.


        Jul 24, 2014

        Que maravilha: juntos e atentos somos muito mais fortes.
        Mariana


Jul 15, 2014

Acho que muitos pais acham esse tipo de coisa legal. Quando vejo meninas de 1 aninho com unhas pintadas me dá um asco.
Outro dia eu estava no banheiro infantil de um shopping com meu filho e uma mãe estava pintando a filha de uns 7 anos para a festa junina. Para ficar bonitinho ela deveria simplesmente passar um blush nas bochechas e fazer umas pintinhas por cima. Mas não, a mulher ainda passou sombra e delineador na menina, e brigava porque ela não parava quieta e que ia ficar feio. A menina não havia pedido por isso e já estava impaciente. Isso é culpa de muitas mães por aí que incentivam. Infelizmente já conheci várias assim.


    Jul 16, 2014

    Que a protagonista é a família nós sabemos – e pelos mais diversos motivos existem pessoas que acham esta conduta adequada – mas temos que ampliar nosso olhar sobre as responsabilidade dos demais atores: estado, mercado, escola, por exemplo.
    Mariana


    Jul 11, 2016

    Mães e pais,porque se pais tivessem juízo,iriam impor limites às mães sem noção que fazem isso e não deixariam fazer.


Jul 17, 2014

Eu fico em dúvida se é de regulamentação que precisamos de fato. O grande agente regulador do mercado e o consumidor, consumidor não compra o produto é descontinuado, simples assim. O cara da fábrica de sutiã para crianças talvez não tenha uma agenda secreta visando a erotização infantil, ele percebeu sim que há um nicho de mercado e – com uma ética bastante questinável na minha opinião – resolveu se aproveitar disso. Na minha opinião quem tem o grande poder de transformar essa situação são sim os pais e responsáveis, o maior interessado na segurança e bem estar de meu filho tenho de ser eu!


    Jul 17, 2014

    Não tenho esperança de que esperar apenas pela consciência e atitude do consumidor refaça este quadro. A Inglaterra – que é um país liberal e democrático – tem leis sobre vestuário infantil e mecanismos de proteção das crianças em relação à erotização precoce. Eles estão errados em regular o mercado e nós certos em deixa tudo nas mãos do cidadão?
    Mariana


Jul 17, 2014

Os únicos culpados disso tudo são os próprios pais, e principalmente as mães que compram essas porcarias e dizem que a filha fica “uma gracinha”. Colocam sutiã em crianças, sapatos de salto e passam batom.Tudo isso é um chamariz para atiçar os pedófilos. E depois essas mesmas mães se acham no direito de ficarem bravas com os pedófilos. Ah tá!!!!! Mães totais “‘SEM NOÇÃO” !!!!!


    Jul 18, 2014

    Os únicos culpados, Silvia? Os únicos mesmo? Você realmente, de verdade, do fundo do seu coração, não acha que quem produz e vende não tem sequer um pingo de responsabilidade?

    Fica a reflexão

    Mariana


      Aug 19, 2014

      Concordo com a Mariana. Claro que os pais TAMBÉM são culpados (e veja que digo ‘pais’, e não ‘mãe’, pois o pai também deve interferir na criação dos seus filhos, já que estes não são obra apenas da mãe), mas vai muito além da questão familiar.
      Além disso, Silvia, essa questão que levantou de crianças com um “chamariz para atiçar pedófilos” não faz muito sentido, seria o mesmo discurso de “mulher de roupa curta estava pedindo para ser estuprada”, e sabemos que não é assim que funciona, certo? O estupro e a pedofilia existem e não é apenas pelo fato da criança estar usando vestimentas consideradas para adultos que poderá sofrer esse tipo de coisa, até por que é sabido de casos de estupro de menores onde os bebês usavam fraldas ainda – horrível, eu sei – e inclusive de meninos, onde não existe nada que “desperte” o desejo do pedófilo.
      Fora isso, TODA mãe e TODO pai, independente de ter falhado quanto a forma que vestiu seu filho, tem direito sim de ficares “bravos” com o estuprador de seu filho. É crime e pouco importa a forma na qual a criança estava, ninguém merece ser estuprado, ainda mais menores de idade!

      Ludmilla.


Aug 23, 2014

[…] algum tempo li um texto, no site do Movimento Infância Livre de Consumo, sobre uma loja que vende sutiãs com bojo para crianças e volta e meia ele aparece na minha […]


Oct 31, 2014

Daqui a uns vinte anos vamos rir desta situação, assim como hoje rimos da queima de lingerie nos EUA a uns quarenta anos atras.
nós pais fingimos acreditar que nossas crianças são inocentes, claro que tudo tem limites, mas parem de hipocrisia por favor.


    Nov 07, 2014

    Parece que o senhor sincero não entendeu o texto: tudo tem seu tempo e antes de ter seio, nenhuma criança precisa de sutiã, ainda mais com bojo. Não tem hipocrisia alguma nesta constatação: mais cirticidade e menos ofensa, por favor.


Dec 29, 2014

elas vão fazer sexo o o que que absurdo


Apr 21, 2015

Isso é a pedofilia aceita pela sociedade. Existe um site, todo em inglês e com domínio nos estados unidos, que usa como desculpa explorar a “beleza fitness” de adolescentes. O site todo é cheio de ensaios fotográficos e vídeos de garotas entre 13 e 16 anos com lingeries sexys e posições sexuais, a grande maioria são latinas, e muitas das fotos mostram nudez e transparência. E, pasmem, o site tem autorização para se manter no ar! Eu já fiz várias denuncias para a PF e inclusive tentei em sites americanos que combatem pedofilia, e depois de um ano o site continua no ar. E agora uma loja virtual vendendo sutiãns com bojo para meninas. Qual seria a necessidade disso? É muito claro que o objetivo é sexualizar, não é a toa que a palavra mais pesquisada nos sites de pornografia é “novinha” “ninfeta” “teen”. O que está acontecendo com a mente humana? Será que essa doença já existia a muito, e somente com a internet podemos perceber que abrange muito mais pessoas do que imaginamos? O que podemos dizer a não ser que os homens que procuram esse tipo de perversão são criaturas nojentas e asquerosas, com a sexualidade corrompida pela mídia? Gostaria de entender qual o lucro que se tem em banalizar o sofrimento das mulheres e meninas objetificando-as e vender isso sem a menor empatia, como alguém se sente bem lucrando com isso! É realmente deprimente. Moças, meninas e mulheres, só o que podemos fazer é nos juntar ao feminismo, se deixarmos as coisas caminharem como estão sem lutar, logo seremos massacradas e não vai haver uma só mulher no mundo que possa ser ela mesma.


Jan 28, 2016

Bem, no caso de uma criança na fase de TELARCA a própria médica indicou o uso de sutiazinho com bojo até mesmo para diminuir o desconforto que ela está sentindo (dor) e dar uma protegida nos “embates físicos” com o irmão. Então acho que há que se ver as várias faces da mesma situação


    Jan 29, 2016

    Estamos falando de sutiã com bojo e renda e lacinho para crianças muito menores.


Apr 15, 2016

Aí eu me pergunto:Essas meninas têm corpo de mulher?Nãão!Pq se tivessem estariam precisando de sutiã,mas essa aí são umas pirralhas


Jul 12, 2016

A pergunta é: se crianças de 6 anos “passarem” a ter “peitinhos”, então elas poderão usar sutiã?
Bem, hormônios sintéticos que agem no organismo humano como “desreguladores endócrinos” provocam essa e outras “aberrações”, inclusive a “dificuldade de identificação com o sexo biológico”. E esses hormônios são utilizados há décadas EM LARGA ESCALA em produtos alimentícios, de higiene e saúde, agrotóxicos, plásticos, além de estarem presentes na água “tratada”, etc. Precisamos, sim, lutar contra a adultização e/ou a erotização de crianças (e adolescentes), mas me parece que estamos combatendo causas “secundárias”. Ideias e ações pedófilas são extremamente sutis, e para combatê-las eficazmente precisamos “renovar” nosso entendimento sobre “sexualidade infanto-juvenil”, caso contrário os pedófilos e demais abusadores vão continuar rindo da gente. O livro no link a seguir propõe uma discussão nova e desafiadora sobre tudo isso. Quem vai encarar?
https://www.editoracrv.com.br/index.php?f=produto_detalhes&pid=31394



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Álcool na mídia: quem deve definir os limites da publicidade?
Texto de Desirée Ruas especial para o Milc* A publicação da Resolução Conanda 163 em abril de 2014 intensificou...