publicidade infantil / 12 de novembro de 2014

Enem e a publicidade infantil. E eu com isso?

Texto especial para o Milc de Ana Cristina Teixeira*

Segundo dia de prova do Enem e um sorriso se abre em mim ao ler o tema da redação: “Publicidade infantil em questão no Brasil”. Meu contentamento não era por ser um assunto com o qual tinha intimidade. Ia muito além! E o meu sorriso ia se espalhando, incontido, feliz, doce…

Desde a aposentadoria planejava ser Técnica em Edificações. Filha de engenheiro, passei a infância visitando obras com meu pai, vendo-o esboçar projetos em papel quadriculado, subindo rampas de madeira nas construções para a “Festa da Cumeeira”, quando colocavam uma folha de palmeira no alto da construção. Busquei informações para participar do Pronatec, mas fiquei de fora por não ter a nota do Enem. Beirando os 54 anos, então, lá fui eu submeter-me ao exame. Estava formada há mais de 30 anos, tinha feito vestibular no finalzinho da década de 70 e ia na cara e na coragem, sem estudar nada, sem conhecer os critérios de avaliação, sem nenhum preparo adicional. Ia apenas com o que ainda me restava na lembrança do aprendizado dos tempos de escola. E após abrir o caderno de provas, ia com o tal sorriso que brotou e toda a bagagem adquirida e exercitada nos últimos anos nas redes sociais.

Eu estava numa alegria por ver que o Movimento pela Infância Livre do Consumismo tinha atravessado a esfera virtual e adquirido uma concretude inimaginável. Eu passeava pela lembrança do dia em que, na Câmara dos Deputados, conheci rapidamente Vanessa Anacleto, Ana Cláudia Bessa, Mariana Sá e Raquel Fuzaro, envolvidas na causa da limitação da ação da publicidade sobre crianças. Ia recordando das minhas primeiras participações nos debates via teclado, quando acreditava que bastava desligar a TV pra salvaguardar a meninada da ação nefasta das propagandas. Revi minha mudança de postura, quando aos poucos fui acessando estudos, documentários, palestras que mostravam que as estratégias publicitárias eram muito mais maliciosas do que supunha. E naquela página impressa, manuseada por milhões de pessoas naquele mesmo momento, o assunto adquiria mais importância, envolvendo até gente que nunca havia parado pra pensar a respeito. Sim, eu estava muito feliz naquela prova!

Era muito assunto pra poucas linhas, mas ainda assim foi possível uma enxurrada de palavras, permeadas pela troca de ideias com tanta gente interessante e interessada do mundo virtual. Ficam aqui meus parabéns e meu agradecimento a todos os envolvidos nesse Movimento. Estamos fazendo História.

Imagem da web.

* Ana Cristina fez o Enem no último domingo e ficou feliz.


Tags:  #Enem2014 consumismo Enem Enem 2014 proteção à infância publicidade infantil

Bookmark and Share




Previous Post
Brinquedo e marketing subversivos
Next Post
Consumo, qualidade de vida e saúde



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Brinquedo e marketing subversivos
Texto especial para o Milc de Nanda Café* A internet tem muitas coisas boas. É graças à internet, por exemplo, que o MILC...