publicidade infantil / 10 de novembro de 2014

Enem, publicidade infantil e a importância do tema dentro das escolas

Texto de Debora Diniz e Ana Claudia Bessa*

Ontem, 09/11, ficamos positivamente surpreendidos com o tema da redação do Enem. Muitas pessoas cumprimentaram-nos pelas redes sociais, outros deram depoimentos de como nossa página havia ajudado em suas redações. A escolha do tema é sintomática, afinal  “Precisamos falar sobre publicidade infantil.” Foram 8 milhões de pessoas pensando sobre um assunto que até a pouco era preocupação de algumas Ongs de proteção à infância e de mães, hoje pertence a toda sociedade.

Neste ano, a resolução 163 do Conanda, que afirma que toda publicidade infantil é abusiva, mostra sua força ao ser tema da mais importante avaliação educacional oficial do país. A importância de ter tantos jovens pensando no tema é imensa. Muitos declararam que foram pegos de surpresa porque nunca haviam pensado sobre esse assunto, entretanto esses mesmos jovens são as maiores vítimas dos apelos consumistas, além disso, logo eles estarão atuantes no mercado de trabalho e, futuramente, muito deles serão pais.

Com esse tema o MEC mostrou que boas escolas deverão se aprofundar nos temas de importância social na formação de cidadãos conscientes desde a infância. Nos últimos anos nós, do MILC, temos palestrado em escolas, para pais, professores e alunos. Isso demonstra que há a necessidade deste debate entre os atores sociais que já perceberam que é preciso repensar os modelos existentes, que o consumo precisa ser consciente e a infância precisa ser protegida pela própria sobrevivência da nossa espécie.

Não podemos também deixar de dizer que ficamos muito felizes por todos aqueles que lembraram do MILC durante a redação, vocês são demais!!!

mec

depoimento 10801640_776849975715390_527569272349779996_n 10731130_776849879048733_7457066616136329910_n 10672322_776849942382060_277119118224378514_n 10645294_776849959048725_2101030120861020246_n 10606593_776849895715398_5555494342671077053_n 10556463_776849865715401_918875958410831820_n 10448787_776850015715386_381871020757489044_n

Eis a prova:

0foto_13

* Debora é mãe de três, cursou Letras e Semiótica. É professora,  doula e educadora perinatal e participa de encontros de mães e bebês na Roda Bebedubem quinzenalmente no Sesc São José dos Campos. É ativista e implicante com a sociedade atual desde sempre.

* Ana Cláudia é mãe de dois meninos, ativista, blogueira, empresária, cofundadora do Movimento Infância Livre de Consumismo e idealizadora do projeto Futuro do Presente.


Tags:  Conanda consumismo Enem Enem 2014 publicidade infantil redação do Enem resolução 163

Bookmark and Share




Previous Post
Num mundo de processados, a criança não aprende o que é processo
Next Post
Brinquedo e marketing subversivos



Mariana Sá




You might also like




1 Comment

Nov 10, 2014

Quando meu marido, professor de Espanhol de uma escola privada, comentou que trabalharia a questão do consumismo com suas turmas de 9º ano e que gostaria de fugir do “óbvio”, sugeri diversos textos do Infancia Livre de Consumismo.
Essa discussão já faz parte do nosso cotidiano, enquanto pais. E, enquanto professores, a questão sempre vai além, já que queremos o melhor pra nossa filha e consequentemente, o melhor para os nossos alunos! É inevitável: a nossa casa invade a sala de aula e a sala de aula invade a nossa casa!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Num mundo de processados, a criança não aprende o que é processo
Texto de Patrícia L. Paione Grinfeld*  Ouvi de uma menina beirando os 8 anos que seu sonho era fazer uma boneca, não...