destaque_home / milc / 11 de março de 2015

Milc faz aniversário

Texto especial para o Milc de Debora Regina Diniz, Mariana Sá, Vanessa Anacleto*

Neste mês, completamos três anos de Milc. Não foi um filho planejado. Nasceu por impulso de cabeças de mães e pais dentro de um grupo de discussão. O que nos moveu foi o cansaço de sermos sempre apontadas como responsáveis de todas as mazelas da sociedade – “onde está a mãe deste menino?” – e especialmente do cansaço com a desonestidade intelectual dos que afirmavam que não era necessário controlar os anunciantes, que bastava que as mães controlassem seus filhos.

O Milc nasceu para fazer contraponto a uma página mantida por uma associação de publicitários que afirmava no seu nome que todos eram responsáveis pela infância, mas que em cada uma das suas matérias citavam apenas o que os pais deviam fazer para proteger seus filhos. Esta página entrevistava celebridades, acadêmicos, colunistas, juristas e mães em busca de dicas de como devíamos cuidar dos nossos filhos.

Em momento algum a página referida buscou ensinar aos seus associados que as suas práticas antiquadas e desrespeitosa estavam em conflito com a lei. Ou mesmo problematizou práticas já “naturalizadas” que vão contra a ética de prioridade para a criança. Em momento algum tomou a iniciativa de reunir os clientes e avisar que daquele momento em diante toda publicidade de produtos infantis deveria ser dirigida aos pais, nunca mais diretamente à criança. Será que algum deles aconselhou seus clientes a não fazerem os merchandisings e os product placement em produções audiovisuais infantis?

O Milc deu frutos e viajou pelo Brasil. O Milc foi ao Congresso Nacional, Assembleias Estaduais, Mesas de Debates do Ministério Público Federal e Estaduais. O Milc foi a Universidades, Centros Médicos, Escolas, Praças e até às telas de vocês.

Vimos muita água passar por debaixo da ponte e hoje temos muito a comemorar além do nosso aniversário e da nossa existência. São acontecimentos que reforçam a ideia de que o Brasil precisa de informação produzida por mães para mães. São passos fundamentais dos quais fizemos parte, mesmo sem ter sido os protagonistas. Olhem só:

– Feira de Trocas de Brinquedos em todo o Brasil desde 2012, fazendo parte dos calendários de diversas cidades brasileiras;

– Lançamento de diversas produções cinematográficas tratando do tema criança e consumo;

– Proibição de ações de merchandising em produções audiovisuais infantis;

– Suspensão de diversas campanhas publicitárias, como Parque da Xuxa;

– Criação da Rede Brasileira de Infância e Consumo;

– Aprovação da Resolução 163 do Conanda;

– Publicidade infantil como tema do Enem de 2014.

O assunto está na pauta e o Milc está de olho!

 

(*) Debora é mãe de três, cofundadora do Milc, cursou Letras e Semiótica. É doula e educadora perinatal há 10 anos. Atualmente vive no Vale do Paraíba e é uma das coordenadoras da Roda Bebedubem. É ativista e implicante com a sociedade atual desde sempre. Co-fundadora do Milc e membro da Rebrinc

Mariana é mãe de dois, publicitária e mestre em políticas públicas. É cofundadora do Milc e membro da Rebrinc. Mariana faz regulação de publicidade em casa desde que a mais velha nasceu e acredita que um país sério deve priorizar a infância, o que – entre outras coisas – significa disciplinar o mercado em relação aos direitos das crianças.

Vanessa é mãe do Ernesto, blogueira e autora do livro Culpa de mãe. Por causa disso tudo, ajudou a fundar o Milc e luta por um futuro sem publicidade infantil. É autora do blog materno maeetudoigual.com e membro da Rebrinc 

 


Tags:  #infancialivre 3 anos aniversário

Bookmark and Share




Previous Post
Na nuvem do berço ao túmulo
Next Post
As crianças e o assédio



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Na nuvem do berço ao túmulo
Texto especial para o Milc de Mariana Sá* Recentemente, duas notícias me deixaram intrigada: será que não há limites...