escola / eventos / publicidade infantil / 2 de Março de 2015

Publicidade nas escolas

Texto especial para o Milc de Vanessa Anacleto*

O marketing está em todo lugar. Mesmo com a TV desligada, existem os outdoors, a internet, os celulares, os stands na entrada dos supermercados e shopping centers. Parece utópica a ideia de que é possível desconectar-se e viver numa ilha de livre pensamento e brincadeiras no mundo de hoje. Mas, se existe um lugar onde a ilha deveria existir, este lugar é a escola. Ao contrário de mero depositário de crianças, cuidadas e alimentadas enquanto os pais produzem riquezas para alimentar a roda da vida em sociedade. A escola é o espaço onde serão apresentadas a diversidade, a observação sistemática, a experimentação e a liberdade de pensamento. Ou, pelo menos, deveria ser.

Recebemos constantemente no Milc mensagens de pais narrando ações publicitárias na escola. As ações costumam ser apresentadas com uma roupagem de ‘importante prestação de serviços’. Em ações muito comuns realizadas pelos palhaços do marketing, por exemplo, os atores se apresentam falando sobre temas como segurança no trânsito, saúde, alimentação ou qualquer outro revestido de importância indiscutível. Nada mais que uma estratégia para deixar nas mentes infantis a lembrança da marca e fidelizar o futuro cliente. Quem não lembra com carinho os momentos que viveu na infância? Todos, inclusive aqueles que inventam estas ações. No encerramento do evento são distribuídos brindes do palhaço do marketing, sejam eles sachês de bebida desidratada enriquecida em corantes e aromatizantes artificiais equivocadamente nomeadas ‘suco’, sejam lembranças da lanchonete do amigo palhaço.

Marcas de bebidas lácteas cheias de amido geneticamente modificado e goma xantana disfarçadas de iogurte também costumam visitar escolas aparentemente ensinando hábitos saudáveis. Depois da ação as crianças são fotografadas com seus potinhos de bebida láctea. Mas não é só o setor alimentação que invade o espaço escolar. Um canal de TV por assinatura recentemente fez um tour pelas escolas distribuindo brindes e desenvolvendo atividades lúdicas com objetivo de fortalecimento da marca.

A sensação dos pais quando veem os filhos chegando da escola cheios de lembranças de uma tarde de marketing é de desalento. Normalmente as ações acontecem sem aviso prévio e utilizam-se do tempo destinado às aulas. Pais não são consultados, nem é pedida autorização para a participação das crianças. É como se a exposição ao conteúdo de marketing fosse algo que coubesse à escola decidir. Ações de marketing na escola devem ser abolidas e para lutar contra elas devemos denunciar. Deve ficar bem claro para a direção da escola que os pais não são favoráveis a ações de marketing e que não há autorização para que as crianças participem delas. Na escola pública a pressão deve ser feita nas secretarias de educação. Crianças não possuem ainda mecanismos de defesa e crítica contra o argumento publicitário e não devem ser expostas ao marketing na escola.

Seu filho já foi alvo de ação de marketing na escola? Conte para nós. Deixe um comentário neste post ou escreva para infancialivredeconsumismo@gmail.com

Estará em São Paulo na próxima semana? Segue o convite:

SEMINÁRIO: PUBLICIDADE EM ESCOLAS
Acontece: 10 de março de 2015 (terça-feira) – das 9h às 12h30
Local: Auditório da ESMP – Escola Superior do Ministério Público de São Paulo – Rua Treze de maio, 1259, Bela Vista, São Paulo/SP

Todas as mães, pais e educadores serão bem-vindos. Participe!

Inscreva-se: http://bit.ly/MPSPinscreva-se

Saiba mais: http://bit.ly/1JHfzWK

(*) Vanessa Anacleto é autora do livro Culpa de Mãe, blogueira no Mãe é tudo igual, co-fundadora do Milc, membro da Rede Brasileira de Infância e Consumo e conselheira escolar.

 

 

 

 

 


Tags:  educação escola marketing infantil marketing nas escolas proteção à infância

Bookmark and Share




Previous Post
Quem precisa de espumante infantil
Next Post
O problema com brinquedos segregados para meninas e meninos



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Quem precisa de espumante infantil
Texto especial para o Milc de Mariana Sá* Não me lembro de nenhum réveillon em que meus filhos sofreram por não beber...