destaque_home / outros / Sem categoria / 8 de agosto de 2015

Pais Amam

*texto de Vanessa Anacleto, especial para o Milc.

Ter filhos não é brincadeira, o começo é difícil. Talvez até mais difícil para o pai do que para a mãe. Afinal, a natureza não concede a eles as três oportunidades inequívocas de formação de vínculo afetivo. Pais não experimentam a gestação, o parto, a amamentação e para as mães é praticamente impossível ultrapassar estas três etapas sem se descobrirem irremediavelmente ligadas ao novo ser. Pais não são beneficiados por esta conspiração biológica. Ainda assim, pais amam. Tão intensamente quanto as mães, apesar do percurso abstrato, como um caminhar em nuvens. Mesmo que durante os 9 meses em que as crias são formadas, estejam ligadas apenas as mães e para eles sobre pouco mais que sentir alguns chutes pelo lado de fora. Mesmo sem cordão umbilical. Mesmo que a legislação brasileira conceda uma licença paternidade ínfima e não lhes permita mais lamber a cria a partir do 6o dia. Ainda assim pais se apegam.

 Apesar de não ter gerado, parido, amamentado, o pai do meu filho criou vínculo, deu  banhos, cuidou do umbigo, cortou  unhas, convenceu o rapazinho que minha papinha valia a pena e a mim que chupeta não era bom negócio. Pais vivenciam.  E o fazem mesmo sem o tempo ideal. Mesmo sem muito mais que o fim de semana para ter contato com as crianças, mesmo fazendo das férias (ah, as férias) o sentido da vida. Pais slingam, apoiam e acarinham, já sem qualquer medo de tocar a criança como sentiam muitos dos pais das antigas gerações. Pais dividem.

Na nova ordem das famílias, os pais mudaram de espaço. Ao invés de meros provedores dos confortos da cria, pais seguram a peteca, manjam os paranauês, vestem a camisa. Pais fazem sua parte e hoje integram esta empreitada maluca que é a criação de filhos. Não somos mais sujeitos com tarefas estruturadas, agora somos mães e pais que dividem. Pais cuidam, assim como meu pai quando salvou minha vida quando o instinto materno falhou e minha mãe resolveu trocar a fralda depois da mamada nos meus primeiros dias, me sufocando. Pais são do esquadrão de resgate. Precisamos desses caras. Pais fazem falta.

Independente de data comercial, abraço a todos os pais Milc e leitores.

*Vanessa Anacleto é escritora, blogueira, mãe do Ernesto e testemunha diariamente um bom pai em ação.

** A  foto do Thiago Queiroz, do blog Paizinho, Vírgula!, foi retirada do blog Cientista que virou mãe, de um post muito bom sobre Paternidade Ativa, vale aproveitar a vibe do dia dos pais e ler também.


Tags:  dia dos pais paternidade ativa

Bookmark and Share




Previous Post
Sugestão de Pauta: tudo o que uma mãe precisa para ter sucesso na amamentação
Next Post
Comida na escola: inspirações para lancheiras, cantinas e refeitórios - caso 3



Mariana Sá




0 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Sugestão de Pauta: tudo o que uma mãe precisa para ter sucesso na amamentação
Texto especial para o Milc de Mariana Sá* Mandamos uma caixa para as mães blogueiras: dentro dela, vários "produtos"...