eventos / 3 de outubro de 2015

6ª Edição da Feira de Troca de Brinquedos (e livros) em Salvador

Texto especial para o Milc de Mariana Sá*

Brincar com liberdade e criatividade é um direito de toda criança. E esse brincar nem sempre precisa estar vinculado ao consumo de brinquedos. Para provocar essa reflexão sobre o consumismo infantil que envolve o Dia das Crianças, vem sendo realizadas em várias cidades Feiras de Troca de Brinquedos desde 2012, a partir da ideia-convocação do Instituto Alana e o Movimento Infância Livre de Consumismo apoia e realiza Feiras Brasil afora. Depois do grande sucesso das cinco últimas edições soteropolitanas promovidas pelo Milc e seus amigos, Salvador repetiu a dose de diversão, reflexão e exercício de desapego.

Trocar é mais divertido que comprar: ao final das Feiras sempre sentimos que alcançamos  o espírito principal da feira que é promover um tempo e um espaço em que crianças e os pais possam vivenciar o verdadeiro sentido do brincar. A expectativa é deixar claro que a brincadeira está além da aquisição de brinquedos novos, especialmente neste momento do ano em que há um aumento expressivo da veiculação de mensagens publicitárias para o público infantil.

A Feira de Troca de Brinquedos e Livros acaba sempre um gancho para que mães, pais e filhos conversem sobre excesso de consumo e desperdício, além de estimular o desapego aos bens materiais. A reflexão deve começar antes mesmo da realização da Feira, quando a família seleciona os brinquedos que podem ser trocados. Nesse instante, os pais ou responsáveis podem conversar sobre a quantidade de brinquedos, aproveitando para mostrar os itens que foram muito desejados e que acabaram sendo pouco utilizados, tendo como base a percepção de nem sempre o que está na TV cumpre a expectativa e que não precisam de muitos brinquedos para brincarem. É o momento de mostrar que os brinquedos esquecidos podem encantar outras crianças. Já na Feira, as crianças e os adultos vivenciam uma nova experiência de aquisição de brinquedos e livros que não passa pelo consumo, mas por um repertório de negociações inovadoras e firmação de parcerias, além de brincar livremente junto com os pais, a natureza e os novos amigos,

Na capital baiana, a organização do evento foi incentivada pelo Movimento Infância Livre de Consumismo (Milc) e conduzida por um grupo de mães, pais e cidadãos soteropolitanos, voluntários que almejam uma infância plena, mais inclusiva e menos consumista. O evento que antecedeu este Dia das Crianças (2015) contou com uma programação que valorizou o brincar, a infância e a simplicidade, desconstruindo a ideia da necessidade de consumir brinquedos novos para possibilitar a diversão infantil.

Sem os benfeitores, nada seria possível. Queremos agradecer a cada um deles:
– Feiticeiras da Festa, que levou o clima da primavera, com cores e delicadezas;

feiticeiras

 

– Eureka Brincantes, que mostrou ás crianças que para se divertir só precisamos de uma ideia na cabeça e de disponibilidade, com suas brincadeiras usando o corpo e objetos pouco convencionais;

brincante

 

– Movimento Presença, que mais uma vez promoveu oficinas de bonecos de pano, levando para as crianças e para as mães e pais a reflexão sobre solidariedade e ocupação de espaços;

presenca

 

– Canastra Real que estreou na Feira com a sua música e sua poesia fortemente alicerçada na tradição brasileira;

canastra

 

– da Escola Bike Anjo que levou técnica e bicicletas para a libertar as crianças das rodinhas.

bike

– Imprensa que sempre tem grande interesse pela pauta e tanto divulga como cobre o evento, levando a mensagem da Feira para um público maior que somos capazes de alcançar;

tv

 

 

– E um agradecimento especial à principal atração da Praça Flora: a amendoeira que permite que as crianças (e os adultos!) se aventurem e vejam a cidade por outro ângulo;

arvore2

arvore

A Prefeitura de Salvador apoiou a Feira por meio da Limpurb, a empresa de limpeza urbana, que desbastou o mato e limpou a área usada para realizar a Feira. Já a Polícia Militar apoiou a Feira fazendo rondas constantes para aumentar a sensação de a segurança, uma vez que a praça escolhida tem uma imagem de deserta e perigosa, mas que só precisa ser ocupada para ganhar vida.

Os brinquedos não trocados farão a alegria das crianças que não podem estar na Troca por estarem em tratamento. Desta vez, recebem doações o Hospital Martagão Gesteira e os Doutores D’Alma.

doacoes

A 6ª Feira de Troca de Brinquedos e Livros/Dia das Crianças 2015 aconteceu no dia 3 de outubro de 2015, numa manhã ensolarada de sábado, na Praça Flora. Confira mais as fotos (aqui)!

Imagens de Janaína Mascarenhas.

(*) Mariana é mãe de dois, publicitária e mestre em políticas públicas. É cofundadora do Milc e membro da Rebrinc. Mariana faz regulação de publicidade em casa desde que a mais velha nasceu e acredita que um país sério deve priorizar a infância, o que – entre outras coisas – significa disciplinar o mercado em relação aos direitos das crianças.


Tags:  brincar Dia das Crianças Dia das Crianças 2015 Feira de Troca de Brinquedos Salvador

Bookmark and Share




Previous Post
Procura-se uma escola que saiba dizer não 3 - mais um capítulo da saga
Next Post
Criança de cabelo alisado: continuamos a fazer tudo errado!



Mariana Sá




You might also like




1 Comment

Oct 07, 2015

Que massa!! Adorei a idéia,pena que não fiquei sabendo. Espero que a próxima já tenha data,minha presença e de João é garantida!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Procura-se uma escola que saiba dizer não 3 - mais um capítulo da saga
Texto especial para o Milc de Anne Rammi* Faço parte de um grupo de ultra privilegiados que matriculará o filho no ensino...