criança e mídia / 17 de março de 2016

Carta aberta aos publicitários e anunciantes

Texto especial para o Milc de Ana Julia Portela*

Caros publicitários e anunciantes,

Soube recentemente – através de um anúncio na TV – que nós, pais, e somente nós, somos os verdadeiros culpados pela obesidade infantil que reina em nosso país. Afinal, somos nós que compramos as porcarias cheias de gordura que os senhores anunciam nos canais infantis, não é isso?

E além de nos culpar, a campanha também nos manda “resistir” aos apelos de nossos filhos para comprar baboseiras açucaradas.

Em outras palavras: vocês convencem meu filho a se entupir de sódio, gordura trans e açúcar refinado; bombardeiam-no diariamente com uma overdose de publicidade e depois me dizem que eu tenho de aprender a negar aquilo que os senhores o convenceram a desejar.

Beleza, então.

Inclusive, queria agradecer de coração por me abrirem os olhos. Sério mesmo! Como é que eu nunca havia pensado nisso antes? Quando meu filho der chilique no supermercado, querendo porque querendo aquele salgadinho gorduroso que vem com uma miniatura IM-PER-DÍ-VEL do Bob Esponja, é só dizer “não”. Ele vai se atirar no chão, vai berrar e vai passar uma semana me aporrinhando – já que a TV não para de lembra-lo o tempo todo do salgadinho negado. Mas tudo bem, é só aguentar firme.

Ou seja, vocês ficam com a parte boa, lucrando à custa da ingenuidade das crianças, e eu fico com o caroço da pupunha, com a choradeira, com o lance da resistência.

Só não entendi uma coisa. Se nos anúncios vocês se dirigem aos meus filhos e não a mim, porque é que estão me mandando resistir? Não faz mais sentido mandar meus filhos resistirem? Até porque vocês sempre dizem que as crianças de hoje são precoces e têm discernimento para distinguir realidade de fantasia.

Além do mais, filhos recebem mesada e compram coisas engordativas nas cantinas escolares. E as mães não vão estar lá para frustrá-los. Mas já sei o que vocês vão dizer. A culpa é do meu filho por ter acreditado que “néctar de pêssego” é saudável. Ou melhor, a culpa é minha por falhar em ensinar um moleque de cinco anos a ter autocontrole.

Então deixa ver se eu entendi bem: vocês jogam no mercado produtos que engordam, pagam milhões para veicular anúncios na TV, estampam toda essa belezura com a cara da Mônica, mas são os pais – frouxos, babões, irresponsáveis – os únicos culpados dessa epidemia de obesidade infantil.

Francamente, é muita cara-de-pau. Porque no fundo, no fundo, estão nos pedindo para resolver a cagada que os senhores fizeram.

E já que “resistir” é a palavra da vez, aproveitem o ensejo e resistam também!
Resistam à tentação de anunciar para crianças.
Resistam à tentação do dinheiro fácil.

Porque, senhores, eu tenho resistido bravamente. Eu digo NÃO com o maior prazer, quando meu filho pede um dos vossos produtos. Birra de criança em supermercado não me assusta nenhum pouco. Tiro de letra. O que me assusta é vocês anunciarem como saudável um produto que tem 70% de açúcar na composição. Bora parar de mentir pras criancinhas, que isso é muito feio.

Atenciosamente,

Maria das Dores,
uma mãe que já não suporta mais servir-lhes de bode expiatório.

 

(*) Ana Julia é mãe, professora e autora do blog Ensine seu filho http://ensineseubebe.blogspot.com.br/


Tags:  #publicidadeinfantil campanhas culpa educação maternidade proteção proteção às crianças publicidade infantil responsabilidade

Bookmark and Share




Previous Post
Sobre o ECA
Next Post
Protejam as crianças



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Sobre o ECA
Antes de ser mãe nunca tinha lido o ECA. Depois eu li e já tinha ouvido falar que era um dos melhores códigos de leis...