Por uma Páscoa sem consumismo

Desde que começamos nosso movimento em 2012, assistimos duas épocas sagradas para algumas religiões sendo reduzidas ao mero consumismo – uma delas é a Páscoa e a outra o Natal. É muito triste perceber que, para muitas crianças, o significado da Páscoa é resumido a ganhar ovos de chocolate.
E é ainda mais triste ver a reação de algumas pessoas quando falamos em não consumir (boicotar) os ovos licenciados: por mais racionais que sejam os argumentos – preço, qualidade, abusividade de marketing, somos acusadas de querer acabar com a magia da infância e com o encantamento da Páscoa. Somos as chatas problematizadoras simplesmente porque desejamos mostrar aos nossos filhos que existe sentido, significado e magia na Páscoa, e que vão além dos personagens e brindes ostentados nos produtos de massa, e que a infância vai além do consumo e do consumismo…
É triste reduzir ao consumismo os ricos significados de uma época cheia de símbolos lindos (para quem é e para quem não é religioso) e trata esta festividades apenas como oportunidade de vender/consumir mais.
Porém não estamos sozinhas: tem muito mais gente reagindo à imposição do consumismo e é uma felicidade assistir à resistência de mães, pais e educadores via reflexão – junto com as crianças – e resignificação da Páscoa (e do Natal), reconstruindo o sentido religioso ou histórico e cultural: mostrando para as crianças como é a tradição da Páscoa na religião da família ou mostrando a elas como surge a festividade e como ela é comemorada nas diversas culturas e religiões. Ou mesmo criando um significado único se nada disso fizer sentido: inaugurando uma tradição familiar. Tudo vale à pena para escapar desta armadilha chamada consumismo: que reduz tudo à trocas monetárias e ostentação.
Em cinco anos tratando deste assunto já vimos que existe muitas maneiras já colocadas em prática para dar um significado mais consciente e consistente à Páscoa e nos próximos quinze dias vamos compartilhar as ideias que temos e as das nossas leitoras (e leitores) para que todas as crianças possam viver uma Páscoa sem consumismo, mas com muito sentido, muito significado, muita ludicidade, muita magia e muita diversão!
Poste no Instagram suas ideias com a hashtag #páscoalivre e/ou marque @infancialivre nos seus posts. No Facebook, use nosso campo de comentários e nosso inbox. E vamos juntos ver qual é a boa da Páscoa livre de consumismo!

Tags:  #compredequemfaz #compredopequeno #façavocêmesma #páscoa2017 #pascoalivre #pascoalivredeconsumismo boicote licenciados marketing abusivo marketing de alimentos Páscoa resignificar a páscoa

Bookmark and Share




Previous Post
Mais bondade, por favor!
Next Post
‘Minimalism’: um documentário sobre as coisas importantes



Movimento Infância Livre de Consumismo




You might also like




1 Comment

Aug 30, 2017

Sou cristã, não sou feminista, mas apesar disso, vejo os temas relevantes que são abordados aqui. O consumismo já é prejudicial para nós adultos imaginem para as crianças! E o “mercado da fé” é muito triste. Muitos cristãos se omitem quanto a esses assuntos. Parabéns pelo trabalho.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Mais bondade, por favor!
Texto especial para o Milc de Mariana Sá* Quer ver as Milcas terem um ataque de pelanca? Culpe ou julgue uma mãe! Aliás,...