publicidade de alimentos / 6 de setembro de 2012

Pelo direito de escolha: a saga dos transgênicos

Texto especial para o Milc de Mariana Farias Castro Ferreira

Vi um post na fan page do Infância Livre de Consumismo sobre os rótulos de produtos enganosos, e fiquei com vontade de compartilhar minha indignação sobre um outro assunto deste campo “alimentício”.

Recentemente vi uma matéria na internet sobre os produtos que são feitos a partir de milho transgênico disponíveis no mercado: para informar o consumidor que o produto é de origem transgênica, as empresas só precisam colocar minúsculos “Ts” no cantinho da embalagem, onde ninguém vê, sabem?

Eis que fui ao mercado semana passada, e na lista estava o fubá para fazer uma polentinha para minha pequena. Peguei o pacote da marca que estou habituada a comprar, e lá no cantinho estava ele, o “T” de transgênico. Fiquei indiginada! Fui logo partindo pro fubá da concorrente, e lá estava o “T”. Parti pra terceira marca disponível no mercado, e advinha? Lá estava o T do transgênico.

Saí do mercado revoltada. Como eu não tenho o direito de comprar um fubá feito de milho de lavoura, sem modificações genéticas, para fazer a polenta da minha filha? Por que eu sou obrigada a comprar uma coisa que eu não quero que faça parte da alimentação dela?

O que eu gostaria é que todas as mães e mulheres, e todos aqueles que fazem compras, saibam o que estão colocando em seus carrinhos, que possam atentar para os pequenos “Ts” das embalagens e que possam fazer uma escolha. Assim como eu fiz: não comprei o fubá. Agora estou à procura de uma alternativa não transgênica. Se alguém souber, favor avisar!

Só para complementar: depois desse episódio, encontrei o T do transgênico em muitos outros alimentos: cereais matinais, preparo para mingau e salgadinhos. Todos alimentos direcionados para consumo do público infantil.

Até pouco tempo tempo atrás, os transgênicos eram proibidos aqui no Brasil. Mas, ao que me parece, foram liberados – na surdina, eu diria – e por alguns anos os consumimos sem saber. Me parece que a lei que exigiu a rotulagem surgiu em 2008, mas que muitos não cumprem, e existe um projeto tentando acabar com a mesma.

Na Europa eles estão cada vez menos em circulação: França, Alemanha, Hungria e Polônia já se declararam livres de transgênicos. Geórgia também. Em Portugal e Espanha, estão prestes a extingui-los.

Sobre o que me faz não gostar de transgênicos: eles são cheios de riscos à saúde, podem causar alergias, resistência a antibióticos e sabe Deus mais o que, pois não há estudos. Ambientalmente eles causam contaminação genética irreversível, o que pode ocasionar a extinção de espécies endêmicas ou silvestres.

Para quem quiser saber mais sobre o assunto, seguem algumas sugestões de sites que trazem mais argumentos contra os transgênicos:

http://www.consumidorbrasil.com.br/consumidorbrasil/textos/cidadao/alimentostrans.htm

http://www.greenpeace.org/brasil/pt/O-que-fazemos/Transgenicos/

http://www.istoe.com.br/reportagens/37115_GRAOS+DA+DISCORDIA

http://www.cidadaoativo.com.br/alimentos/229-transgenicos-proibidos-em-diversos-paises.html


Tags:  direito à informação direitos do consumidor transgênicos

Bookmark and Share




Previous Post
Encontros reais
Next Post
PL 5921/01: um resumo para leigos



Mariana Sá




You might also like




15 Comments

Sep 11, 2012

Eu estou atenta a isso. Já consegui achar uma marca de óleo que não utiliza transgênicos (e, o melhor, não custa mais por isso). A gente tem que exigir e deixar de consumir se não achar adequado.


Oct 09, 2012

Amo polenta e fiquei chocada ao ver nas prateleiras dos mercados somente polentas transgênicas. A boa notícia é que encontrei uma polenta importada da Itália da marca Divella que não possui o triangulo amarelo com aquele terrível T. pesquisei no site do greenpeace da Itália e realmente a Divella tá livre de transgênico.


Jan 21, 2013

Em feiras de produtos orgânicos talvez você encontre fubá de milho não trangênico produzido por pequenos agricultores.


Feb 05, 2013

É triste ver que nossos políticos nos vendem sem remorso, temos que comprar ovos, carnes, milho e soja contaminados por trangenicos, somos obrigados a comprar gasolina misturada com alcool… Muito triste 🙁


Mar 31, 2013

Tomei a liberdade de colocar um link para seu site em meu Facebook, pois também estou em busca de polenta de milho não transgênico.


Jun 03, 2013

Bom dia estou revoltada com esta história de transgênico.
Tenho procurado fubá encontrei não transgênico, porém cinco vezes mais caro do que do supermercado que não se encontra sem ser transgênico.
O problema não fica só aqui no fubá, é na maizena ou melhor no amido de milho na batata e soja.
Consumo ovos caipira, perguntei para o vendedor se a galinha comia milho sem ser trangênico ele nem sabe o que quer dizer isso, então fui verificar o milho que as galinhas se alimentam imagina se não éra transgênico. O que vamos fazer?
Precisamos divulgar mais estes produtos transgênico, porque poucas pessoa sabem disso, só que os ratos que comçaram a comer milho transgênico em 2009 hoje estão com tumores no corpo inteiro isso ninguem sabe.
Fica aqui minha indguinação.
Bom dia.


Jun 22, 2013

a onda dos transgenicos no brasil,como nos livrar deles por onde passa esta eles la e nossos govenantes não veem isso so quando comecarem o morrer nossa populaçao de cancer.


Jun 27, 2013

É revoltante mesmo e não é só fubá e farinha de milho, estou feito doida procurando ração para cães que não seja transgenica e praticamente não existe. Realmente a mentalidade de nosso povo precisa mudar, o país tem que mudar.


Jul 16, 2013

olha pessoal realmente precisamos fazer alguma coisa, abaixo-assinado,campanhas em redes sociais, é revoltante o que se faz no Brasil os transgênicos são rejeitados na Europa mas aqui temos que praticamente nos ver obrigados a comer transgênicos direta ou indiretamente, é lamentável,olha milho não transgenico ainda não achei, mas óleo de soja tem uma marca chamada leve, que é feito com soja não transgenica, fica a dica.


Aug 08, 2013

Cara sra. Mariana,
também não encontrei o fubá não-transgênico para meu pai. Te faço algumas perguntas, e estas perguntas podem ser respostas de uma trama muito maior do que simplesmente milho, soja ou batata contaminada…
1 – Sabia que na Europa isto não foi aceito de forma alguma? Causa câncer em tempo muito curto por causa do efeito no organismo.
2 – Tem notado nossas leis como são elaboradas e aprovadas? Acordamos no outro dia e lá está, pronto, aprovada, e acabou!
3 – Você foi consultada, ou sabe de alguma amiga consultada, para aprovar que o bandido que assassinar um ente querido seu receba em torno de R$ 911,00 ao ir para o presídio, todo mês para a família dele?
4 – Sabia que a família da vítima tem direito a apenas 25% deste valor, e isto se o reclamar? A alegação maligna é de que se o sujeito é preso a família dele fica em dificuldades, pois ele era o ‘trabalhador’ que provia a casa. E a família da vítima não fica?
5 – Sabia que um policial que balear um suspeito em exercício da profissão será submetido a processo se o bandido morrer?
6 – Sabia que nas escolas, os livros que falam da família foram recusados pelo MEC, que somente autoriza agora se o livro colocar o padrão gay como referencial para a criança?
7 – Sabia que se não quiser que seu filho, que se preocupa tanto na alimentação dele, não aprenda estas nojeiras na escola, é obrigada a deixar, pois é AGORA contra a lei deixar o filho de 4 anos ou mais sem a escola?
8 – Sabia que a política de amparo ao crime no Brasil é tão ampla que NENHUM cidadão comum brasileiro tem como saber todos os pontos da lei onde o bandido é favorecido?
9 – Acha mesmo que tudo o que está acontecendo são acúmulos de casualidade?
10 – Está lendo a Bíblia ultimamente?
Reflita senhora, pode ignorar como apenas bobagem de minha parte, como visão radical, e seguir adiante, ou pode começar a se questionar o que está acontecendo. Não marcarei a notificação de respostas, pois não tenho tempo para contendar, nem voltarei aqui para ver nada. Porém, a senhora tem meu e-mail, e pode entrar em contato caso queira conversar sobre este avanço do mal no Brasil e no mundo.
Deus te abençoe!


Aug 15, 2013

Infelizmente em torno de 85% da produção de milho amarelo no pais é de semente transgenica. Ou nós consumidores compramos fubá da Italia conforme a colega acima disse ( ja que lá é proibido os transgenicos) ou a alternativa seria o fubá de milho branco, pois até o momento ainda não desenvolveram a semente “maldita”.


Feb 04, 2014

Isso também aconteceu comigo e fiquei indignada com esta situação, no caso do milho é um absurdo, óleo de soja idem, agora achei uma marca que não é transgênicos, mas está revoltante.


Feb 24, 2014

Não consegui encontrar nenhuma farinha de milho que não fosse transgênico
A minha conclusão é que esse país não tem mais jeito, país de safados, ordinários , verdadeiras meretrizes , com um porém, se vendem a troco de banana !
Nem para ser corrupto ,brasileiro presta, se vendem a troco de migalhas !
Enquanto países desenvolvidos o povo tem orgulho , aqui temos vergonha, povo sem cultura, alienado e corrupto, sem nenhum futuro , a não ser o abismo !
Quando viajo para outro país, jamais falo que sou brasileiro, pq se eu falar sou taxado de ladrão, lixo e por ai vai…….e a imprensa não divulga essa verdade !
Infelizmente essa é grande verdade, o Brasil é uma vergonha, e não temos como mudar isso….poderíamos mudar com a educação……mais como ? se os próprios professores recebem uma miséria e apanham de alunos , onde as escolas só servem para emburrar ainda mais nossos jovens !
E viva os bbbs, novelas e o futebol !


Feb 28, 2014

Estou na mesma situação e gostaria de saber como comprar esse fuba da Itália. Obrigada


Feb 02, 2015

No parque da agua branca feirinha organica aos sabados, tem fuba organico livre de trangenico. E sao deliciosos, sempre compro, o gosto é outro e a cor amarelissimo!!! 😉 Vambora exaltar os produtores organicos locais!!!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Encontros reais
Graziela Flor Gosto de grupos. Preciso deles. Não importa se reais ou virtuais. Tá bom que os grupos de amigos reais são...