publicidade de alimentos / 13 de maio de 2013

Sódio, vilão silencioso

Texto de Renata Kotscho Velloso*

Crianças e adolescentes têm consumido em média a mesma quantidade de sódio que os adultos, o que pode trazer sérios riscos à saúde. O aumento da pressão arterial é uma grave consequência do consumo elevado de sódio. A doença, que até pouco tempo era praticamente exclusiva dos adultos, tem afetado um número cada vez maior de crianças, principalmente aquelas com excesso de peso.

Um estudo publicado pela revista Pediatrics em setembro do ano passado analisou a dieta e a pressão arterial de mais de 6 mil crianças entre 8 e 18 anos nos Estados Unidos.

O estudo concluiu que as crianças e adolescentes americanos consomem em média 3.387 miligramas de sódio por dia, um valor semelhante ao consumo dos adultos e bem superior aos 2.300 miligramas recomendados para crianças acima de 2 anos.

O estudo descobriu também que existe uma relação importante entre o consumo de sódio e a elevação da pressão arterial. Para as crianças com peso normal, para cada 1.000 miligramas a mais de sódio consumido por dia, o risco de aumento da pressão apresentou aumento de 6%. Mas o quadro mais drástico é o das crianças obesas ou com sobrepeso (mais de um terço da amostra); para elas o aumento de 1.000 miligramas no consumo diário de sal gerou uma elevação de 74% do risco de hipertensão.

Hoje cerca de 14% dos adolescentes americanos sofrem de hipertensão, um valor que chega a 25% entre aqueles estão acima do peso.

A grande dificuldade de se reduzir a quantidade de sódio na dieta é que boa parte dele, especialmente no caso das crianças, não vem do sal que é adicionado como tempero à comida, e sim de produtos industrializados com alto teor de sódio. Entre os principais vilões estão a pizza congelada, sopas entaladas, macarrão instantâneo e embutidos em geral como salame, presunto e peito de peru.

O aumento da pressão arterial está associado a doenças importantes como infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral, bem como insuficiência renal. É uma doença silenciosa, que não apresenta sintomas até que o quadro se agrave.

Para evitar o risco de pressão alta, as crianças devem aumentar o consumo de frutas e vegetais e também praticar mais atividade física. O aumento da pressão arterial depende de muitos fatores, mas, em geral, conseguimos reduzir o risco tendo uma dieta e um estilo de vida saudáveis.

*Renata é mãe de 3 meninas: Luiza, Julia e Clara. Médica formada pela Unicamp, em Campinas, mora há um ano com sua família na Califórnia. Sua filha Julia é autora do blog Chef Juju, com muitas receitas gostosas.


Tags:  doenças crônicas produtos alimentícios industrializados sódio

Bookmark and Share




Previous Post
Mães
Next Post
Menos SAL para a criançada



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Mães
Texto de Aldo Masini* - Pai. Fala que não é pra mãe ir no jogo de queimada da minha irmã? Por favor pai, não deixa...