outros / 4 de abril de 2012

Carta Aberta – Paulo Tatit

Paulo Tatit,

Num mundo cada vez mais massificado e descartável, a música do Palavra Cantada sempre foi a certeza de proporcionarmos arte e cultura não consumista para nossos pequenos.

Talvez isso explique nossa imensa decepção ao ver seu depoimento de apoio ao Somos Todos Responsáveis.

Entendemos que seu grupo dependa de patrocínios e de anúncios para viabilizar suas lindas produções, mas daí a apoiar um movimento que quer apenas evitar que a sociedade estabeleça regras para a lucrativa publicidade infantil, vai um longo caminho.

Antes de aceitar apoiar esta causa, você deveria ter pensado no seu consumidor final: mães e pais engajados na formação musical dos filhos e que, portanto, tem um olhar crítico e afiado em relação à propaganda. Pais e mães atuantes, que não aceitam ser apontados pelos publicitários como principais responsáveis pelo cada vez mais preocupante comportamento consumista da garotada.

Devia também ter pensado nas crianças e refletido melhor sobre os reais objetivos de uma campanha financiada por quem leva a maior fatia do milionário mercado infantil.

Pedimos que leia mais sobre os prejuízos que a publicidade não regulamentada causa aos nossos filhos e reveja sua assinatura neste movimento que só serve para culpar os pais e perpetuar o atual quadro de consumismo entre os meninos e meninas do Brasil.

Campanha por uma Infância Livre de Consumismo


Tags:  palavra cantada paulo tatit somos todos responsáveis

Bookmark and Share




Previous Post
Um Novo Canal para a Causa
Next Post
Vamos falar sobre a publicidade infantil no Canadá?



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Apr 09, 2012

Resposta `a carta aberta:
Apesar da minha música ser um contraponto às músicas descartáveis eu busco sempre atingir ao grande público. (lembrando sempre de que o que é descartável pra mim pode não ser descartável para você). Eu desejo e faço uma música para ser consumida pelo maior público possível. Todo artista deseja isso e eu não fujo à regra.

Eu não apoio movimento nenhum! Me pediram a minha opinião sem saber qual ela seria, e eu disse o que eu acho.
Não estou defendendo a publicidade e sim a liberdade de escolha de cada um. Acho que a publicidade não é o mal maior na televisão. Pra mim, o pior da TV são os trailers e as chamadas dos programas adultos que a tv aberta faz a todo instante. São sempre as cenas mais violentas que entram diretamente na cabecinha das crianças.

As novelas, também passam conteúdos muito ruins para as crianças pois elas não entendem o contexto e só sentem aquela energia ruim onde tem sempre alguém chorando, outro “sacaneando”, outro xingando, outro dando porrada e por aí vai.

Meu público consumidor é sim engajado na formação musical dos seus filhos e ponto final. Não tem nada de “olhar critico e afiado” em relação a propaganda. Isso pode-se ter ou não.

Dito isso quero dizer que eu também faço minha campanhazinha particular contra o consumismo em que nossas crianças estão expostas. Então, o que difere meu pensamento do de vocês? É o seguinte: Eu sou contra a elaboração de uma LEI que regularize esse tipo de coisa. Acho que a sociedade já evoluiu muito nessa questão da publicidade infantil. Muitas agências de publicidade já se mancaram e têm medo de dar bola fora nessa questão. As TVs também já estão se auto regulando e colocando seus limites SEM QUE EXISTA UMA LEI REGULAMENTANDO ISSO!

Eu reflito muito, leio muito, assisti ao maravilhoso documentário “Criança é a Alma do Negócio” mas eu não aceito que o Estado venha ditar regras do que é bom ou não pra mim e para a população. Assim como não aceito também que uma elite intelectual venha ditar suas regras cheias de moral e de argumentos do que é certo e errado para mim e para as camadas mais pobres da população. Ao invés de fazer leis e mais leis, o Estado só tinha que se preocupar em educar melhor suas crianças para elas se tornarem espertas, inteligentes e críticas.

Quem vai regulamentar a publicidade? Quem é que tem esse julgamento tão certeiro que sabe o que é bom ou ruim pra população? Os políticos de Brasília? as elites pensantes? Acredito muito mais no que já vem se processando há mais de uma década: uma auto regulamentação livre de leis regulamentadoras.

A Palavra Cantada faz um baita esforço para que seu trabalho atinja às camadas mais pobres da população, não pra impor seu gosto e sua “qualidade musical” mas apenas para colocar lado a lado uma outra opção de música e pensamento. Nesse sentido, se eu pudesse anunciar o meu trabalho aos quatro ventos, eu faria sem pestanejar.

Paulo Tatit


    Dec 05, 2012

    Omisso.

    Meu filho cresceu ouvindo Palavra Cantada, justamente por eu entender que haveria todo um projeto na origem e na razão da existência da banda. Achava ser música diferenciada, com conteúdo e objetivo diferenciados. Mas, com o passar do tempo, ou o foco mudou ou eu me dei conta que era só mais uma banda. Tão comercial e tão vazia quanto todas as outras! A qualidade da música é inegável, do conteúdo eu já não sei…
    E para aqueles pais que não compreenderam o posicionamento dele, eu explico, como ser a favor de uma campanha que visa proteger as crianças de propaganda e assédio abusivo se é o que eu mais quero fazer, não é mesmo Paulo?
    Engana-se quem pensa que, nesse sentido, a palavra Cantada é diferente. Shows para crianças carentes em CEUs, no Ibirapuera onde quer que seja? Sim, claro! Desde que a prefeitura, o estado ou alguém pague os devidos cachês, não é mesmo Paulo?
    Seu posicionamento só ratifica o meu.
    Meus parabéns às pensadoras do movimento pela iniciativa e pela carta. É absolutamente ultrajante que crianças sejam bombardeadas sem escrúpulos pela mídia. A educação é fundamental, mas não há educação que resista aos apelos midiáticos, principalmente quando o alvo são crianças que ainda estão sendo educadas.


      Mar 01, 2013

      Entendo seu pensamento eu não concordar com a posição de Paulo Tatit, mas o que isso tem a ver com ele e a banda receberem por seus trabalhos? Eles têm mesmo que receber e a prefeitura investir em shows gratuitos.


        Aug 28, 2013

        Apoiada.


    Jul 25, 2013

    Caro Paulo,

    Sinto muito, mas, não é assim.
    As empresas e agências não se mancaram e cada vez mais procuram uma forma de entrar na cabeça de nossas crianças. Procuram, quer dizer, gastam BILHÕES em pesquisa e estudos de psicologia e utilizam de todas as técnicas para conduzir as crianças expostas ao comportamento esperado. É lógico que a sociedade já evoluiu bastante nesta questão, e certamente evoluirá mais ainda, olharmos Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Noruega, Irlanda, Bélgica, Áustria, Grécia, entre outros, eles possuem normatizações específica ou aceitam sua incompetência para legislar e proibem a publicidade dirigida à criança. Outra referência importante é a legislação da Suécia, que proíbe qualquer tipo de publicidade na televisão dirigida a pessoas com menos de 12 anos antes das 21 horas.
    Então, particularmente quero que caminhe nesta direção e continuo achando que onde não tiver bom senso ou o esforço equivalente do estado em pesquisas e estudos para saber a real influência da publicidade nas crianças, no tocante a consumismo, obesidade infantil, colesterol, comportamentos sexistas, bullying e etc é melhor não ter publicidade nenhuma dirigida a criança.
    É melhor não ter de fiscalizar e nem confiar meus pintinhos às raposas, proíbe e ponto final.


Apr 09, 2012

Total com Paulo Tatit. Se a educação for boa, o “resto” é consequencia. Precisamos de serem pensantes, que não estão em Brasília e nem nas agências, somos nós, consumidores, eleitores que temos que mudar!


Apr 09, 2012

Parabéns pela posição! Realmente, “público consumidor é sim engajado na formação musical dos seus filhos”, concordo e eu e os meus assinamos embaixo rs…
…”o Estado deveria se preocupar em educar melhor suas crianças para elas se tornarem espertas, inteligentes e críticas”, mas sabemos que não é isso que alguns dirigentes do Estado querem; enqto mais “burrinhas” mais manipuláveis serão.
Aproveitando gostaria que o Palavra Cantada se engajasse um pouquinho mais (ainda) na acessibilidade às crianças, digo aos pais, que gostam de Palavra Cantada e não têm condições financeiras de pagar um preço tão alto para assistir um show de vcs, quero dizer, de levarem seus netinhos(as), filhas… No mais, tudo ótimo 🙂 Parabéns a turma toda.


Apr 09, 2012

O raciocínio é legal, só tem um pequeno probleminha:
se não existe ninguém fiscalizando a auto regulamentação, ela ficará a mercê da conveniência dos interessados em divulgar seus produtos, de ninguém mais. é UMA RELAÇÃO MUITO UNILATERAL que se presta a imensos abusos.

Gostei da diferenciação que ele fez entre impor e apresentar. Faz bastante sentido. Então, por que ela não pode ser expandida a outras vertentes? por que tnta gente confunde uma crítica à publicidade infantil com uma defesa de que a publicidade deva ser extinta? Isso é bem confuso pra mim.
perdoem o capslock.


Apr 09, 2012

Apoiado Paulo!!!!
A criação de regras de publicidade é igual a Censura.
Sou mãe a pouco tempo, tenho um filho de 2 anos que adora Palavra Cantada, nem por isso me sinto ofendida com a sua expressão de opinião.
Acho q se os pais não estão gostando da publicidade para seus filhos, cortem esses meios de comunicação em casa.
O único direito de censura q aceito é aquele q os pais têm em censurar o que seus filhos assistem em casa.
O resto é hipocrisia.


    Apr 10, 2012

    Mary Ellen, a questão da publicidade infantil não é apenas uma questão de cortar os meios de comunicação em casa. Se fosse só isso seria fácil. Mas estamos cercados de publicidade por todos os lados. OK quando é para os adultos, mas para as crianças, que ainda não conseguem discernir o que é real e o que é criado para que desejem, a situação se complica. Não é só desligar a TV, o computador ou o rádio. Para impedir completamente o assédio, teríamos que deixar de ir a muitos lugares com as crianças. Porque a publicidade está em todo canto. Ou você discorda?


      Nov 14, 2012

      Para isso existem os pais – para orientar, para ajudar a criança a discernir o necessário do supérfluo, o saudável do nocivo etc. E também para dizer NÃO, por que não? Às vezes tenho a impressão de que tantos pais e mães cobram a regulamentação da publicidade infantil porque querem ser poupados de dizer não aos filhos.


Apr 09, 2012

O detalhe é que, no momento, não temos liberdade de escolha. Para que houvesse uma liberdade de escolha, não apenas para as crianças, mas para os consumidores, em geral, as propagandas deveriam ser dos produtos, não focadas em apelos emocionais que, muitas vezes, não condizem com a proposta do produto.


Apr 09, 2012

Bem, acho que que a mídia pega pesado mesmo, não acho que a sociedade evoluiu no quesito publicidade infantil, mas concordo que todos nós temos responsabilidade.
Concordo plenamente que novela é bem pior, e que há muuuuita hipocrisia na sociedade como um todo, afinal de contas, quem é que dá audiência pra esse lixo todo? quem é que sintoniza a tv da sua casa em uma porcaria?? quem é que deixa as crianças assistirem novela? outro dia meu filho me perguntou pq a gente não vê novela mamãe? eu quero assistir… eu disse, pq na novela não tem nada de bom, só maldade, gritaria e sacanagem…
Na minha opinião, esse movimento deve mostrar o quanto estamos preocupados com as crianças de uma maneira geral, e falando em publicidade, vamos manifestar que ninguém acredita nessas propagandas do governo federal falando das escolas maravilhosas do governo, peçamos tb que eles mostrem uma relação dizendo onde estão essas escolas e quantos brasileiros de baixa renda são beneficiados com essa educação, pq sinceramente eu desconheço. Educação minha gente, enquanto essa bandeira não for levantada permaneceremos nessa situação lamentável onde a ignorância impera!!!


Apr 09, 2012

Paulo, parabéns. Temos três filhos e o Palavra Cantada faz parte da nossa vida e de algumas das nossas melhores lembranças. Aqui não queremos saber dessa história de proibir. Nós sentamos, conversamos, com todas as dificuldades tentamos dar a melhor educação. Obrigado pelo trabalho maravilhoso e pelas palavras lúcidas. Noris


    Apr 10, 2012

    Noris, tenho muita curiosidade de saber como lidam com a situação os pais bem resolvidos como você. Sei que na internet a coisa é complicada, mas não é ironia minha. Se alguém conhece o caminho das pedras, se alguém sabe como escapar ileso disso tudo, por favor me ensine. Porque eu fico mesmo perdida no meio de tanto bombardeio em cima das crianças e adolescentes para que consumam, consumam, consumam… E, como eu disse acima para a Mary Ellen, não é só na TV, na internet ou no rádio, é em todo lugar. Eu converso, controlo, proíbo muitas coisas, digo uma tonelada de “nãos”, mas me sinto muito cansada dessa batalha. E queria saber de que maneira posso viver mais tranquila.


Apr 10, 2012

Paulo Tatit, em primeiro lugar obrigada por responder, foi muito importante para mim, apreciadora (e não consumidora) de sua música saber suas razões e concordo que mais leis são desnecessárias, afinal existe a Constituição Federal, o Código de Defesa do Consumidor e o ECA com textos que deixam claro o equívoco e desrespeito à infância cometidos quando as propagandas são direcionadas a crianças e adolescentes. Seria muito bom que os empresários e artistas as respeitassem, não é? Seria muito bom que não precisássemos acionar o MP porque dentro do Gibi há propagandas PARA as crianças lerem e pedirem aos pais. Não somos ingênuos, Paulo, nem nós nem vocês, então sabemos bem que a autorregulamentação significa avanço zero. Por isso, já que concordamos que mais leis não são necessárias você “Canta de lá e eu canto de cá” (livro de Patativa do Assaré), vc reflete um pouco mais e nós acionamos o MP um pouco mais.


    Dec 05, 2012

    Perfeito.


Apr 11, 2012

Nós consumidores é quem ditamos as regras. Desligue a TV e brinque com o seu filh@. Você e ele salvos do “Zumbirismo”.


    Apr 11, 2012

    Denis, mais uma vez eu bato na mesma tecla: a TV não é a única fonte de publicidade voltada para as crianças. Olhe à sua volta, ela está em todos os lugares. Se bastasse desligar a TV não estaríamos aqui debatendo sobre o assunto.


Apr 20, 2012

O Grupo Palavra Cantada é um otimo instrumento de educação infantil, tiro isso pelo meu filho que adora e já tenta soltar suas primeiras palavras com esse grupo maravilhoso.
E tem mais quem não quer ser reconhecido? Quem faz algo belo precisa ser reconhecido mesmo.
Acredito que quando o Brasil começar a apoiar atitudes como as do Palavra Cantada a cultura nacional melhore e muito. A não ser é claro que as pessoas prefiram continuar com : é o tchan, michel teló, sertanejo universíotário entre outros lixos que já temos que engolir com a midia batendo em nossas cabeças.
Paulo e Palavra Cantanta, que TODAS as crianças do Brasil tenham acesso a esse maravilhoso trabalho e quem sabe um dia em futuro proximo as pessoas deem valor ao que é bom e não ao que é ruim como acontece hoje em dia.
Parabens ao grupo.


Sep 15, 2012

“… mães e pais engajados na formação musical dos filhos e que, portanto, tem um olhar crítico e afiado em relação à propaganda”
Incrível como até onde não tem nada a ver a gente percebe a ideologia da pessoa, a “cabeça feita”, as palavras repetidas para todo e qualquer assunto como um gravador.

Tatit você é meu novo ídolo! PARABENS!!! Muito lúcido!


Sep 20, 2012

Parece tão simples deixar tudo solto, acreditar na auto regulação, que o mercado “só quer o bem das pessoas e garantir a concorrência justa”, que crianças podem escolher livremente se bem educadas (crianças de 3 anos conseguem ser educadas para entender capitalismo/lucro/interesses do consumo exacerbado/estado liberal e supremacia do mercado frente ao bem estar?)… Na real, Estado existe para garantir um mínimo de dignidade e reduzir as vulnerabilidades tão marcantes na sociedade… Sou totalmente a favor da proibição da publicidade para crianças, pela sua face cruel, manipuladora e desrespeitosa quanto ao que seja infância!!! Criança tem que ser alvo de políticas pública, de educação, de exemplos de solidariedade e direitos humanos, e não alvo de um mercado que só quer vender, independente dos danos emocionais causados!!


Sep 22, 2012

Nossa, fiquei curiosa para saber sobre o esforço do Palavra Cantada para atingir as camadas mais pobres da população?! Tá passando na TV aberta e eu não peguei… é porque no centro-oeste TV Cultura é só para quem tem TV por assinatura, e os shows são caros, assim como o DVD, alem do quê, os clipes disponíveis no youtube são raros… adoro o Palavra Cantada, é uma das poucas coisas que libero para o meu filho assistir, mas sinceramente essa opinião do Paulo foi, se não oportunista, bem ingênua… que pena!


Oct 12, 2012

Lamentavel a opinião do Paulo, um cara que eu respeito como artista, mas sinceramente, ou é muito ingenuo, ou acha que somos trouxas. Paulo, quem deve regulamentar essa lei são os políticos de Brasilia, sim. São pessoas eleitas por nós, e que regulam todas as outras leis que seguimos diariamente. Quem mais seria? Deus? Maomé? O Silvio Santos?
Se as pessoas que estão lá, segundo você, não tem capacidade para tal tarefa, a culpa é de quem as designou para isso. Até agora só trouxe prejuizo para nossa sociedade esse pensamento de que os governos do Brasil não são capazes de cumprir com suas obrigações, por isso devemos entregar isso ao livre comércio, a auto-regulação, a privatização, e por ai vai…


    Jul 26, 2013

    Isso mesmo Kilder, estou com vc! No minimo lamentavel!! Ou é ingênuo ou acha que nos somos trouxas. E afinal de contas, o que é a liberdade? Liberdade para mais informaçoes? Menos intervencao estatal, mais “laissez-faire, laissez-passer” para as industrias, para o mercado e chegamos aonde estamos numa selva onde a caça sao nossos filhos. Desculpem-me, mas claro que devemos ter mais responsabilidade individual como cidadaos e preocupacao com a educacao dos nossos filhos. Tanto assim que apesar da minha ter so 1 aninho esta longe de TV, ipad, computador, etc., mas até quando? Eu como mae tenho obrigacao pessoal de zelar pela educacao da minha filha, mas o Estado tem obrigacao estatal de zelar pela EDUCACAO e pela SAUDE PUBLICA da sociedade! Sao coisas diferentes que o mercado com argumentos falaciosos e manipuladores usa para nao ser regulamentado. Essa manipulacao infantil por meio do comercial nos meios de comunicacao é em primeiro lugar uma questao de saude publica. Moro na Europa ha mto tempo e aqui a publicidade infantil na televisao é sim regulada e MTO!!! E proibido, na Italia, por exemplo, publicidade entre desenhos e programas infantis. Devemos lutar para que o Estado brasileiro (executivo, legislativo e judiciario) zele pelos seus cidadaos, independente da responsabilidade individual de cada um, pq sao coisas diferentes!!!!!!! Pecado que um artista tao importante para o mundo infantil nao se preocupa com seu publico. Ou melhor ainda tira proveito dos pequenos. Vou rever meu conceito com relacao ao palavra cantada.. pq entre ele e a xuxa esta parecendo mais uma questao de classe social; xuxa para os pobres, palavra cantada para o hippie chique.


Nov 14, 2012

Estou com o Paulo e não abro! Mais liberdade, mais informação, mais responsabilidade individual e menos intervenção!


Nov 26, 2012

Será que as crianças das ‘camadas mais pobres’ estão sempre acompanhadas de seus pais e/ou responsáveis para que eles possam desligar a TV quando algo inadequado estiver passando?
Ou será que essas crianças vão ter que esperar a educação melhorar para se tornarem ‘espertas, inteligentes e críticas’ e só então poderão se proteger (sozinhas) dos malefícios das propagandas desrespeitosas.
E o duro é que nas ‘camadas mais pobres’ faltam ‘opções para se colocar lado a lado’ com a TV. Fica mesmo a TV e seu bombardeiro de propagandas INADEQUADAS para as crianças.
Enquanto isso a propaganda, dá forma que está, vai atendendo ao interesse apenas do anunciante.
Penso que quem quer opinar sobre esse assunto deveria tirar um dia inteiro para assistir aos programas infantis e seus respectivos intervalos comerciais. Daí então, observar o que é oferecido e como é oferecido para as crianças. Não tem como não ficar indignado.


Feb 28, 2013

sou formado em publicidade e constatei que não há escrúpulos para se vender um produto: é como oferecer açúcar a diabético ou droga a viciado. Além disso, Joseph Goebbels já disse: a mentira repetida muitas vezes torna-se verdade e Oliviero Toscani,também, a propaganda é um cadáver que nos sorri. Por outro lado, sou a favor da liberdade. Que a propaganda é a alma do negócio a gente já sabe, agora, que a educação é prerrogativa, direito e DEVER dos pais, isso poucos querem saber e delegam à tv, à escola e aos outros seu direito de educar o próprio filho. Pais, crianças não nasceram em árvores, então, por favor, assumam seu papel e ensinem às crianças o que é bom e o que é ruim. Só pra ilustrar: trabalho como artesão e vendo numa feira produtos feito á partir de reciclados. Ao lado da minha barraca dois feirantes que vendem camisetas com os símbolos da TV, Chaves, Parati Patata, Galinha Pintadinha, etc… ouço vários pais tornarem filhos consumistas desde tenra idade, mostrando e comprando os símbolos da TV, corroborando assim com a “publicidade” que combatemos.aqui. Já ouvi uma criança correr para minha barrava dizendo: olha pai, uma tartaruga. E o pai dizer: não filho é só papel (meu trabalho é feito com papel reciclado). Ai ele vai na barraca ao lado e mostra para o filho: olha filho o Chaves, A Galinha Pintadinha, O Patati Patata… e compra a camisa. Qual é a campanha que faço? Infância livre de pais consumistas. Valeu. Beto, artesão, educador ambiental, permacultor.


Jul 25, 2013

Caro Paulo Patit: Respeito e muito seu posicionamento como músico e/ou pai, ainda mais sabendo que sua música de certa forma contribui pra educação do meu filho muito mais do que a escola. Agora, não é por que a sociedade evoluiu em alguns aspectos que devo me conformar com a realidade de nossa publicidade dirigida as crianças. Sabemos que todos temos responsabilidade nesse processo, escola, pais, meios de comunicação, publicitários, mas o que você negligencia em seu discurso é que essa relação é um tanto quanto desigual. Pais não passam o dia todo fiscalizando o que o filho está vendo ou consumindo, e a escola não é parâmetro pra nada, sabemos que nosso sistema de ensino é arcaico e segue a lógica do mercado, parece muito mais uma linha de produção do que uma casa do aprender. A TV e a publicidade educam muito mais do que a escola, são mais objetivos e certeiros, estão em todos os cantos. E como tb é sabido crianças até certa idade não são capazes de decidir e discernir sobre o que é bom ou ruim pra elas. Quando você fala que é contra uma lei que regulamente a publicidade dirigida as crianças, você automaticamente está sendo favorável ao consumismo desenfreado, automaticamente está sendo a favor do merchandising impregnado em todos os horários na tv, a favor da associação de heróis a indústria junk food, a favor desse massacre constante em todos os meios de comunicação para que a criança e adolescente consuma seus produtos e se sinta inserida… Não tem meio termo, se você é contra protegerem as crianças desses abusos da publicidade e da indústria como um todo, você é a favor dessa indústria! Por quê esse discurso de “não podem tirar a minha liberdade de escolha… que as crianças sejam educadas para terem senso crítico e escolher por si” só funciona se vivêssemos em uma sociedade igualitária e livre. Nem todos pais tem o mesmo discernimento e conhecimento que você. Nem todos os pais tem real consciência sobre os malefícios do consumismo como filosofia de vida. E é isso que a publicidade endossa, consumismo como sinônimo de felicidade! E posso te dizer uma coisa, não faço parte de nenhuma elite, sou pobre, ir a um de seus shows me custaria muito (e acho que é valido cobrar o valor que é cobrado, nada contra, todo artista talentoso como é o seu caso deveriam ser bem pagos), mas o pensamento crítico não tem classe social. Querer regras claras pra proteger as crianças de abusos não significa moralismo e sim ética!! E pode ter certeza que quem mais é prejudicado pelo massacre da publicidade são as pessoas pobres e da atual classe média, que cresceram vendo tv aberta e tem o avanço social calcado principalmente em um pilar: o consumismo!!! Grato!!


Aug 20, 2013

A questão está no controle remoto… Por que as crianças assistem tanto TV? Porque algum dia alguém ligou pra ela, porque ela nasceu e a TV já estava lá, ligada, na sala e na cozinha, porque alguém precisou de um tempo e usou a TV para entreter a criança enquanto isso. Ver TV é mais cômodo que “perder tempo” procurando um bom livro, passear num parque ou preparar uma comida junto com a criança. As propagandas e os programas só passam porcarias porque tem espectador… Escolham um programa que realmente valha a pena e segurem o controle remoto. Conversem com seus filhos, discutindo o que é positivo ou negativo do que se vê.
Ou, então, desliguem a TV e vão brincar.


Feb 14, 2014

Vocês só podem estar de satanagem. Deixem o Paulo em paz e vão arrumar uma lavagem de roupa. Tenho filho e esposa e todos somos fãs da banda. Vão atrás das pessoas certas pra culpar pela questão da publicidade. Palavra Cantada é uma banda formada por músicos que precisam de dinheiro pra sobreviver como todos vocês bando de sem noção. Por que cada um aqui não larga seu emprego e vai prestar serviços gratuitos à sociedade? Fala sério!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Um Novo Canal para a Causa
O blog da causa Infãncia Livre de Consumismo, liderado por membros do Grupo de Discussão Consumismo e Publicidade Infantil...