outros / 28 de fevereiro de 2013

Carta aberta à Mattel e à Royal Caribbean

Prezadas Mattel e Royal Caribbean,

Meu nome é Renata, sou mãe de três meninas que adoram brincar com as suas Barbies. Eu quando era criança também gostava muito das minhas. Eu me lembro que antes dela, todas as minhas bonecas eram bebês que eu tinha que cuidar. A Barbie era totalmente diferente! O mais legal é que ela poderia ser o que ela quisesse!

barbie-careers

Por isso eu fiquei feliz ao saber da notícia de que a Mattel e a Royal Caribbean criaram uma parceria para trazer uma experiência da Barbie para dentro de um cruzeiro, a Barbie a Bordo. Imaginei um mundo de possibilidades!

Tenho que confessar, porém, que fiquei bastante decepcionada com o enfoque que foi dado a essa experiência. O “mundo Barbie”, que poderia ser tão amplo, foi reduzido a moda e beleza. Ao invés de valorizarmos as potencialidades das meninas, estamos tratando-as novamente como objetos de decoração. É por isso que resolvi escrever esta carta, para mostrar como a Barbie e, no final das contas, as meninas podem ser mais do que “modelos que desfilam sobre um tapete cor de rosa”.

No meu sonho, num cruzeiro com a Barbie muitas coisas mais legais poderiam acontecer. Imagine só um laboratório da Barbie cientista com experimentos voltados para crianças. E a Barbie como comandante do navio, ensinando para as meninas que elas também poderiam comandar um transatlântico, se quisessem. Ou então uma Barbie chef de cozinha, ensinando para as crianças receitas saudáveis que elas mesmas conseguissem preparar. A Barbie atleta, fazendo esporte com as crianças dentro do navio. Imaginei também a Barbie jornalista, criando um programa apresentado pelas meninas que mostrasse os lugares por onde o navio vai passar, ensinando um pouco da história e da geografia de cada porto. Ou, melhor ainda, uma Barbie humanitária que levasse as crianças do navio para algum orfanato no Caribe e mostrasse para elas uma outra realidade muito diferente daquela que elas vivem e proporcionasse um encontro entre essas meninas?

São tantas as possibilidades que valorizam as meninas, que ampliam seus horizontes. Por que quase nunca pensamos nelas?

A Barbie foi criada como um brinquedo revolucionário, feminista e libertador de certa maneira. A Barbie substituiu as minhas velhas bonecas-bebês porque ela podia ser astronauta, arquiteta, cientista, médica, veterinária, tantas coisas. Por que agora ela precisa ser apenas uma perua cafona? É triste ver a boneca reduzida a um modelo estereotipado, puramente fútil e consumista. Nossas meninas merecem mais do que isso. A Barbie também pode muito mais. Pensem nisso. As meninas e as mães agradecem.

Um abraço,

Renata Velloso*

*Renata é mãe de três meninas: Luiza, Julia e Clara. Médica formada pela Unicamp, em Campinas, mora há um ano com sua família na Califórnia. Sua filha Julia é autora do blog Chef Juju, com muitas receitas gostosas.


Tags:  Barbie Mattel profissões Royal Caribbean

Bookmark and Share




Previous Post
O Carrossel ainda vai te atropelar
Next Post
Por que o Conar “proibiu” o merchandising e por que não vai adiantar



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Feb 28, 2013

Olá,
Vocês já assistiram a essa palestra? http://www.youtube.com/watch?v=rug1I69Udmo&feature=share

Muitíssimo interessante!


Feb 28, 2013

As Barbies não são tão comportadas assim para a fotógrafa Mariel Clayton. Veja em http://misturaurbana.com/2012/11/as-barbies-de-mariel-clayton/ .
Abraço, Helena


Jun 12, 2013

Boa tarde mattel,
O concurso meu perfil assustador da monster tinha muitos participantes votando em sí mesmo e acho que não é justo.
Obrigada


Oct 09, 2013

Oi Mattel, eu queria falar que eu sou apaixonada por monster high eu já vi todos os filmes todos os vídeos horripilantes joguei todos os jogos,e as musicas fazem eu me “sentir” eu sou doidinha a maior fã! e no dia das crianças queria que meu pai me desse a boneca balada monstro Lagoona Blue. obrigada por ler!


Jan 24, 2014

eu quero que a mattel baixe o preço das monster



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
O Carrossel ainda vai te atropelar
Texto de Anne Rammi* Estava eu curtindo minha vida normal de mãe pós-contemporânea. Cheia de crises, cheia de tarefas...