campanhas / criança e mídia / eventos / 26 de abril de 2013

Uma semana longe das telas

Texto de Renata Kotscho Velloso*, baseado em artigo do site education.com

A tecnologia vem ocupando um espaço cada vez maior na área de educação infantil, mas, na hora do entretenimento, as crianças também têm passado cada vez mais tempo em frente às telas. A maioria dos especialistas da área de desenvolvimento infantil concorda: as crianças têm ficado tempo demais na frente da televisão ou do computador.

A Academia Americana de Pediatria recomenda que uma criança com menos de 2 anos não fique tempo algum em frente a uma tela e limita a duas horas por dia o tempo máximo para uma criança maior. Apesar disso, as estatísticas americanas mostram que 40% dos bebês de 3 meses assistem TV regularmente e 19% dos bebês com menos de 1 ano têm TV no quarto. Estudos mostram que o uso da TV aumenta conforme a idade: crianças americanas entre 8-18 anos gastam em média 4 horas e meia na frente da TV, 1 hora e meia no computador e mais de 1 hora jogando video game – por dia! No Brasil as estatísticas não são muito diferentes: estima-se que a criança brasileira fique em média 5 horas por dia na frente da telinha.

O que há de tão errado com a tela? Bem, aqui vão algumas evidências:

  • Assistir TV antes dos 3 anos de idade está relacionado a alterações no padrão de sono e atraso na aquisição da linguagem.
  • Crianças pequenas que assistem TV têm mais chances de apresentar problemas mais tarde, incluindo pior desempenho em matemática, sobrepeso e aumento da agressividade infantil.
  • Quanto mais tempo a criança fica na frente da tela, menos tempo ela gasta brincando livremente, o que muitos especialistas consideram a base para a aquisição de habilidades como solução de problemas, capacidade de aprendizado e criatividade.
  • No caso de crianças mais velhas, o tempo gasto em frente a telas está associado a obesidade, distúrbios do sono e dificuldade de concentração.

semana_sem_telas

Como seria a vida da sua família sem telas para entretenimento? O Projeto Criança e Consumo está propondo, entre 29 de abril e 5 de maio, uma semana sem telas. Vamos aderir?

*Renata é mãe de 3 meninas: Luiza, Julia e Clara. Médica formada pela Unicamp, em Campinas, mora há um ano com sua família na Califórnia. Sua filha Julia é autora do blog Chef Juju com muitas receitas gostosas.


Tags:  influência da TV semana sem telas tecnologia e educação tela telas

Bookmark and Share




Previous Post
Cantinas escolares na Itália
Next Post
Com a palavra, a nutricionista: tirando dúvidas sobre aditivos e conservantes alimentícios



Mariana Sá




You might also like




3 Comments

Apr 26, 2013

Poderia passar a fonte das informações, ainda mais do Brasil.
obrigado


    May 01, 2013

    Luciano, é uma iniciativa do Instituto Alana, na carona da campanha anual do movimento americano Campaign for a Commercial-Free Childhood. O link está ao final do artigo! 🙂


Apr 26, 2013

Excelente campanha! Sou pediatra, “mãedrasta” de 2 crianças e gestante de uma meninha. Sempre estimulei meus enteados com brincadeiras de colagem, pintura, brincadeiras ao ar livre. Adoro ouvir as gostosas gargalhadas deles. Até esquecem a TV no fim de semana.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Cantinas escolares na Itália
Texto de Allan Robert PJ* Noutro dia, trocando mensagens com a amiga Silvia Düssel Schiros, comentávamos a notícia...