destaque_home / maternidade / 3 de setembro de 2015

Aniversário livre de consumismo – a festa da minha filha custou 300 reais e foi linda

Texto especial para o Milc de Debora Regina Magalhães Diniz*

Nesses três anos de Milc é recorrente ter de responder a perguntas do tipo: “você cria seus filhos numa bolha?” “Você é hippie, comunista, natureba (acrescente seu adjetivo)?” “Você proíbe seu filho de comer guloseimas, tomar refrigerantes e assistir desenhos?” Minha resposta é NÃO para todas as alternativas. Mas o fato de não criar meus filhos numa bolha, não ser hippie ou “alternativa” (seja lá o que isso signifique) e permitir que, esporadicamente, meus filhos consumam guloseimas, refrigerantes e assistam desenhos não me impedem de tentar viver de maneira mais consciente, sustentável e menos consumista.

E foi assim que planejei a festa de aniversário da minha filha de oito anos. Ela está crescendo e quando perguntei como ela queria sua festinha a resposta foi: Violetta (não a flor, mas a novelinha musical que passa na Netflix, viu como somos normais?). Num ano em que praticamente todas as festas tiveram como tema Frozen eu até achei bom ser um tema diferente (mesmo que ainda seja da Disney).aniversariante

 

Então, como mãe que luta por uma infância livre de consumismo, eu me propus um desafio: fazer uma festa usando o tema desejado pela minha filha mas SEM licenciados, com inspiração no tema e buscando ser mais sustentável possível.

A primeira decisão foi que a festa seria em casa, temos um quintal bacana, com bastante gramado e espaço para as crianças brincarem. Também escolhi um domingo à tarde, assim a festinha seria uma espécie de “café da tarde” ou piquenique.

As primeiras coisas que foram abolidas foram as bexigas e os descartáveis. Usei copos e pratos de acrílico que podem ser reutilizados e alguns poucos copinhos que foram colocados alguns mashmallows. Os talheres foram todos os de casa mesmo. No lugar dos balões eu e meu marido fizemos enfeites usando papéis, seguindo tutoriais da internet. A toalha da mesa é de TNT e já está guardada para próximas festas. Os próprios enfeites serviram de lembrancinha (as amigas adoraram levar pompons e borboletas de papel para enfeitarem os quartos).

mobile

fundo

mesa

 

No lugar das frituras, sanduichinhos com um patê de frango caseiro feitos por mim, pães de queijo e pipoca. Na mesa dos doces deixei uma cesta com muitas frutas e maria mole. Não consegui negociar muito a questão do refrigerante, então liberei guaraná (me julguem rsrsrsrs).

Na hora dos parabéns, bolo de chocolate com morango e mais frutas que podiam ser molhadas numa fonte de chocolate.

De resto, muitas brincadeiras (dança da cadeira, seu mestre mandou, esconde-esconde).

brincadeira

 

O toque pessoal foi o bailinho (com direito a luzinhas e trilha sonora da Violetta) e um cineminha no quintal feito com o data-show.

cinema

 

 

Nota da Editora: o material da decoração custou 50 reais (toalha de TNT e notas musicais prontas, papel crepom, cartolina e barbante). Para incrementar foram usados brinquedos e objetos da casa da decoração. A comida e a bebida custou 250. O data show e as luzinhas foram emprestadas. O clip das músicas estão disponíveis na internet (You Tube) e o filme foi escolhido entre os títulos da Netflix. As brincadeiras foram incentivadas pelos pais.

 

(*) Debora é mãe de três, cofundadora do Milc, cursou Letras e Semiótica. É doula e educadora perinatal há 10 anos. Atualmente vive no Vale do Paraíba e é uma das coordenadoras da Roda Bebedubem. É ativista e implicante com a sociedade atual desde sempre. Co-fundadora do Milc e membro da Rebrinc


Tags:  aniversário dica festa licenciados

Bookmark and Share




Previous Post
Publicidade que emociona e a ingenuidade dos adultos
Next Post
A Mercantilização do Carinho



Mariana Sá




You might also like




10 Comments

Sep 03, 2015

Simplesmente AMEI! Quando eu era criança meus pais eram quem faziam tudo da festa, decoração, mesa, sacolinhas de brindes, tudo, os bolo e comidinhas também a família que fazia, sempre achei isso o máximo! E hoje em dia não curto essas festas infantis que são eventos sociais, tudo é muito industrial e comercial, voltado mais para satisfazer os pais do que para as crianças!

A pouco tempo vi um aniversário infantil num parque, era um pique-nique, as crianças soltas brincando, decoração de papel feito as que vocês fizeram, comidinhas caseiras e muitas risadinhas, aquilo tudo tinha uma energia muito boa! Ainda não tenho planos de quando terei meus pimpolhinhos, mas pretendo seguir essa linha sustentável ambiental e socialmente no que for possível.


Sep 04, 2015

Muito legal!


Sep 05, 2015

Muito bom! Mas cada um faz do jeito que gosta! Importante é celebrar a vida!


Sep 08, 2015

ameeeei isso!
Tenho a maior preguiça dessas festas infantis imensas, para todos os adultos que os pais conhecem. Com bebida alcoólica e decoração da “frozi”
Aí a criança até troca de roupa na hora do parabéns, e surge com uma fantasia da personagem. MEDO.

Você realmente só convidou as crianças amigas da sua filha ou foram adultos tmb?
Obrigada


Sep 10, 2015

Muito legal suas ideias. Deixei de fazer festas para minhas duas crianças pois não concordo com esses modelos mercadológicos e não tenho grande intimidade com atividades manuais. Se vc puder disponibilizar alguns dos tutoriais que lhe ajudaram, eu agradeço. Parabéns pela linda festa!


Nov 20, 2015

Muito legal! No aniversário de 1 ano da minha filha, eu e meu esposo também optamos por não fazer festa tradicional, até porque essas festas agradam mais aos adultos do que às crianças. Fizemos um pic-nic na praia com a família e amigos e foi lindo! Sentamos no chão, comemos, brincamos e apreciamos o pôr-do-sol.
O melhor é que os convidados ficaram bastante à vontade e puderam relaxar.
http://itsagirl.com.br/2015/11/20/1o-aniversario/


Feb 14, 2016

Bom, gostei, bom mesmo.


Mar 27, 2016

Adoro festas.


Jun 01, 2016

Muito bom.


Feb 07, 2017

Eu amo artesanato e cozinhar e sempre fiz questão de montar 100% a festas do meu filho. Só comprava o bolo e os docinhos. Eu não era natureba como sou hoje. Mas também não era consumista (meu marido não deixava, hahahaha).
Na festa de 4 anos dele, a primeira grande festa no salão de festas do prédio, antes era só em casa mesmo e só a família. Eu arrumei uma mesa com todos os brinquedos dele, fiz cataventos para decorar as mesas, tinha mesinha com papel e lápis de cor, levei todas as fantasias dele.
Na de 5 anos ele quis carros de corrida. Comprei panos quadriculados para fazer a mesa do bolo e bandeiras de chegada, comprei uma calota de carro e fiz um “pneu” de EVA (hoje não uso mais, pois não é EVA não é reciclável) com pedaços de bolo já cortados dentro, fiz uma pista de corrida na mesa, comprei um daqueles negocinhos que soltam um monte de coisinhas no ar em formato de garrafa de champagne e montei carrinhos de corrida em EVA que as crianças vestiam.
Na festa de 6 anos, como ele ficou na dúvida em que herói escolher, ele pediu simplesmente heróis. Olhado novamente as fotos, nem acredito que eu fiz tudo aquilo. Que trabalhão que deu. Mas ficou lindo! Cada toalha de mesa de TNT fiz um herói diferente, na mesa do bolo, as comidas davam super-poderes e cada uma era de um herói, com o seu símbolo na ponta, fiz tiaras, escudos, máscaras, capas e braceletes para as crianças levarem de lembrancinha, a caixa do Mário, recheada de bolo já cortadinho, também fui eu que fiz. Fiz tudo sozinha! E ficou o máximo, também amo os heróis.

PS: nessa época eu ainda não era natureba, curtia uma porcariazinha.

Se quiserem dar uma olhada no álbum das minhas festas.
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.451285404904995.103653.100000706180383&type=1&l=aa501463f6
Eu não faço decoração de festas para vender, apesar de amar, dá muito trabalho.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Publicidade que emociona e a ingenuidade dos adultos
Texto especial para o Milc de Anne Rammi* O espectador da publicidade raramente tem consciência de que está sendo...