campanhas / 24 de setembro de 2012

Qual Dia das Crianças vamos dar para nossos filhos?

O Dia das Crianças se aproxima e começamos a perceber a profusão de apelos publicitários querendo transformar um produto qualquer no sonho de consumo da garotada. Nós, os pais, estamos na expectativa de sair às compras, cartão de crédito em punho e até dispostos a encarar mais um parcelamento para realizar o sonho dos nossos pequenos.

Contudo, mal conseguimos lembrar qual presente demos no ano passado. E quando lembramos, nem sabemos onde está. É certo que está em algum baú, em alguma caixa, gaveta ou sob as montanhas de novos brinquedos que nossos filhos ganharam desde o ano passado. Se não tiver sido algo significativo, ele já foi esquecido.

Se olharmos com cuidado vamos reparar que nossos filhos possuem brinquedos demais e brincam com dois ou três que são os favoritos. Estes são os significativos.

A verdade é que a quantidade de objetos pode ser proporcional à distância, à ausência e ao vazio. Como os nossos pertences de adulto, os brinquedos às vezes são usados para preencher vãos. A questão é que os objetos em si não suprem vazios, coisas não se tornam presença.

O Coletivo Infância Livre de Consumismo convida você a refletir conosco sobre o que realmente é capaz de fechar estes espaços. Queremos saber quais são as suas ideias para que, no Dia das Crianças, a gente consiga tirar o foco do consumismo. Use este espaço para compartilhar histórias de como sua família costuma comemorar o Dia das Crianças. Conte qual a importância sua e do presente neste contexto. Que atividades interessantes podemos fazer com nossos filhos?

Queremos saber se tantos objetos são mesmo necessários para fazer nossos filhos se sentirem homenageados nesse dia. O que nós, pais e mães, podemos proporcionar aos nossos filhos para que se sintam preenchidos pelo amor?


Tags:  Dia das Crianças

Bookmark and Share




Previous Post
Carta às mães
Next Post
Atenção, Brasília!



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Sep 24, 2012

Moro em Aracaju, cidade de praia e parques naturais banhados por rios, no dia das crianças vou levar a minha familia (3 pequenos!) para um pique nique e no dia seguinte levarei eles para me ajudar na festa que a Ong que trabalho vai promover na comunidade onde atuamos, na nossa festa faremos um momento de brincadeiras tradicionais e espetaculos de dança e circo, nada de distribuição de brinquedos porém tentaremos promover uma feira de trocas de brinquedos, no final um lanche bem gostoso e nutritivo (bolo, salada de frutas, suco!) e cineminha final…


Sep 24, 2012

Quando eu era criança, meu sonho era ganhar uma bicicleta, mas infelizmente isso nunca aconteceu. Não somente pelo fato de que meus pais eram pobres, mas principalmente porque eles não se deram conta de o quanto isso era importante para mim. Fiquei bastante frustrado de não poder andar de bicicleta junto com meus amigos naquela época.

Neste último final de semana, presenteei uma de minhas sobrinhas com uma bicicleta usada, em ótimo estado de conservação. Ela ficou muito feliz e surpresa, afinal não se tratava de nenhuma data especial. Não sei quem ficou mais feliz, ela que ganhou um brinquedo novo ou eu que de certa forma tirei um peso que estava nas minhas costas desde a infância. Gastei R$ 150,00, enquanto uma bicicleta nova do mesmo modelo está custando aproximadamente R$ 400,00.

Estou contando essas duas histórias para ilustrar 3 coisas que julgo importantes: (1) determinados brinquedos podem ser muito importantes para uma criança; (2) não vincular de forma sistemática a compra de brinquedos com datas “especiais”; (3) não se deixar levar apenas pela emoção na hora de pesar o custo/benefício de um brinquedo (brinquedos usados podem ser uma boa alternativa, por exemplo).

Com relação a datas especiais como “dia das crianças/mães/pais”, acho que reunir a família (para fazer um passeio, por exemplo) é uma opção bastante divertida e importante para fortalecer os laços de amor que unem de fato uma família.


Sep 24, 2012

Concordo com Alexandre Freire, gostei muito do texto dele. E é isso, brincar é muito importante mas temos que ficar de olho nesse consumismo exagerado. Aqui na minha casa não somos tão ligados a datas comemorativas, n há essa combrança por presentes, e esse será o terceiro dia das crianças da nossa filha que tem dois anos, e nos dois anteriores ela ganhou presente dos parentes, não compramos nada. Acho que fazer um programa juntos é uma boa forma de comemorar.


Sep 24, 2012

Vagabundagem tem limites, e vocês já ultrapassaram os da razão humana. Então, no espírito de porco em que foi criada sua nefasta instituição, proponho uma lei diferente:

Que todos os deputados juntamente com sua instituição financiem com seu dinheiro os objetos de desejo dos pequeninos para que eles nunca saibam o que é querer e não poder ter. Creio que desta maneira as frágeis crianças estarão deciddamente protegidas.

E desde já solicito-vos criarem um divisão de sua singela instituição. Que tal criarem a ong CLC (Crianças Livres do Comunismo). Acho muito mais interessantes.


    Oct 14, 2012

    vagabundagem? que falta de respeito!

    refletir deve doer, né?


Sep 24, 2012

Sugiro um piquenique no parque de Pituaçu, aqui em Salvador/BA, com direito à aluguel de bicicletas para um belo passeio pela trilha. É o que fazia muito quando meus filhos eram pequenos. Agora, aguardo a chance de ter netos e proporcionar momentos como este à eles!


Sep 24, 2012

Também concordo com o Alexandre Freire.
Minha filha de 3 anos usa óculos desde bebê e faz aniversário dia 25 de dezembro. Geralmente trocamos os seus óculo no fim do ano. Ano passado já tínhamos comprado um vestido de Branca de Neve como presente de natal/aniversário (ela ganha só um mesmo) quando fomos à ótica comprar um novo par de óculos. Ela se encantou por um Ray Ban aviador rosa, de sol, mas explicamos à ela que naquele momento já tínhamos comprado o seu presente e que ela teria que esperar até o próximo aniversário.
Já tivemos que trocar seus óculos duas vezes este ano (ela é uma criança bem ativa e às vezes acidentes detonam uma armação) e as duas vezes ela ficou namorando o seu presente de aniversário deste ano. Ela sempre nos lembra que é aquele que ela quer, mas não nos pede antes do tempo, está esperando pacientemente….
Em junho eu quis comprar os óculos para ela, mas preferimos esperar conforme tínhamos combinado.


Sep 25, 2012

Tenho pena de quem pensa como o companheiro Salomão, ali em cima. O sentimento de “querer e não poder ter” existe justamente em função deste estímulo ao consumo exagerado a que somos submetidos todos os dias. Querer educação e não poder ter, querer uma família e não poder ter, querer comida e não poder ter, isto sim é triste, e só existe por causa do capitalismo dos nossos governos, que privilegia os ricos e esquece os pobres. Se não fôssemos tão estimulados a consumir a todo instante, a possuir coisas caras, a descartar o que não é mais de última geração, talvez não houvesse esse sentimento de “querer um brinquedo e não poder ter” entre as crianças…


Sep 25, 2012

sr. alexandre freire, que bacana! ótima reflexão!
sr. salomão, realmente, vagabundagem tem limites e o senhor deveria estar trabalhando em lugar de esmiuçar conteúdo que não lhe interessa, não? um livro do seu interesse preenche muito melhor o tempo, sabia?
sobre a campanha, acho que vou levar meu filho passear de maria fumaça!
boa semana a toda/os!


Sep 27, 2012

[…] == "undefined"){ addthis_share = [];}Começamos a conversar um pouco sobre o dia das crianças aqui, numa tentativa de resgatar essa data focando outros aspectos além do comprar presentes. Estar […]


Sep 27, 2012

Bem, não sou mãe, mas sou muito presente na vida do meu irmãozinho mais novo. Felizmente ele não e uma criança consumista, por exemplo, quando no Natal minha mãe foi se desculpar com ele por não ter lhe comprado nenhum presente, ele a abraçou e disse que ela já havia lhe dado o melhor presente do mundo, a vida. Obviamente ele possui os seus desejos materiais, mas com apenas dez aninhos ele já entende que certos produtos não são necessidades como a propaganda nos quer induzir. Querer e não poder, caro amigo Salomão, é fruto do nosso sistema hierárquico e excludente. E como a amiga Isabella disse, o mais triste é querer educação e não poder ter, querer uma família e não poder ter, querer comida e não poder ter. O problema é que vivemos em uma sociedade regida pela escassez e essa, meu caro, não existe de fato. Somos estimulados a comprar, comprar e comprar. Os produtos quebram facilmente, novos modelos são lançados e a obsolência (programada) nos atinge. E o que nos induzem a fazer? Comprar, comprar e comprar mais. Mas o poder de compra não é igual para todos, afinal, como disse, vivemos em um sistema de classes. E enquanto aqueles do topo consomem muito – comida, bebida, aparatos tecnológicos, carros, BRINQUEDOS, etc etc etc – os aqui de baixo padecem com o ‘querer e não poder ter’. A mídia e a propaganda são apenas mecanismos para reforçar esse sentimento de inferioridade e de enganosa necessidade. Não negar isso, é concordar que seu filho seja excluído na escola porque não possui o novo celular da moda, aquele que em menos de três meses já será ultrapassado e outro virá para exercer seu papel excludente. Esse é apenas um dos sintomas, não quero me alongar falando da enorme quantidade de lixo fruto desse excessivo consumo, mas gostaria de frisar uma coisa: consumo não é sustentável. Não adianta falar que o produto tem selo verde e bah bah bah, reduzir o consumo, isso sim é ser sustentável!
Enfim, respondendo ao tópico.. Aqui em casa vamos a um evento organizado por mim, no qual faremos várias gincanas e brincadeiras com as crianças, além de um picnic vegano e uma troca de brinquedos.

Gostaria de indicar uns documentários…
A História das Coisas: http://www.youtube.com/watch?v=3c88_Z0FF4k
Obsolência Programada: http://www.youtube.com/watch?v=E6V6-hBbkgg
Consumo de Crianças: http://www.youtube.com/watch?v=uFtFMZ7U8DY
Zeitgeist Addendum: http://www.youtube.com/watch?v=mXX7Wu74JVk
Zeitgeist Moving Forward: http://www.youtube.com/watch?v=f26ftHujPYQ


Sep 27, 2012

[…] mas nem sempre resistem em satisfazer as vontades dos pequenos). Fica para reflexão esse texto “Qual dia das crianças vamos dar para nossos filhos”. Tenho pensado muito nesse assunto. Afinal, escolher quando e o que dar de presente para uma […]


Sep 28, 2012

Eu acho desnecessário gastar o que não tenho nestes brinquedos anunciados e que estimulam o consumismo. Tenho duas filhas, de 8 e 4 anos e conheço bem o desespero que os pais enfrentam quando tentam frear estes estímulos no momento que conversam com as crianças; Eu mesmo perguntei algumas vezes se se lembravam do brinquedo da – coloque festa qualquer – passada. Nem eu, nem elas lembrávamos. É só o meu cartão de crédito, onde pululam parcelas de vários estabelecimentos que me faz relembrar o preço que paguei. O brinquedo não sei mais qual é. E a gente cede. Nem cede aos caprichos das crianças, a gente chega cansado a criança vem alegre pedindo o brinquedo, a gente diz que não dá, não pode, é brinquedo demais, e de repente o rostinho se faz triste, cabou a graça… a gente enfrentou 8,9 horas fora de casa talvez com caras feias no trabalho, viu um sorriso se desfazer em segundos, o sorriso que a gente esperou o tempo todo… e cede, e vê por alguns segundos novamente. Mas acaba. E brinquedo não preenche nenhum vazio. Concordo. Vamos trabalhar mais esse descontentamento por causa de bens materiais.


Oct 01, 2012

[…] ‘Qual Dia das Crianças vamos dar para nossos filhos?’ é o questionamento feito pelo Coletivo Infância Livre de Consumismo, que convida os pais a refletir sobre o que dar aos seus filhos nessa data comemorativa. Tudo isso porque a data se aproxima e já é possível perceber a profusão de apelos publicitários querendo transformar um produto qualquer no sonho de consumo da garotada. […]


Oct 01, 2012

Amigos,

coloquei um texto no Blog Psicologia Racional, com link para vocês.

A importância de frustrar seus filhos (não ao consumismo) http://www.psicologiaracional.com.br/2012/10/a-importancia-de-frustrar-seus-filhos.html

Me ajudem a compartilhar.

abraço,

Regis Mesquita


Oct 29, 2012

Perfeito!!!


May 30, 2013

eu nunca tive prenda nos dia da criança


Sep 30, 2013

para o dia das criansas eu sejiro dar uma boneca acompanhada de un baton e un cartao dizendo . para meu filho ou filha querido que fez un milagre en minha vida como deus me deu un filho dou tudo para fazer o ben para ajudar para ensinar voce andar viivo para te ajudar nos momentos difices devo ese presente a uma amiga minha que eu trato ben ela chama emanueli kauane da pintura do sentro cutural

viiva e guie seu filho



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Carta às mães
Meu nome é Agnes Arato e sou uma das mães que fazem parte do coletivo Infância Livre de Consumismo. Se você pensar no grupo...