outros / 9 de setembro de 2013

Beleza infantil: não treine sua filha para consumir cosméticos

Texto de Eduardo Molon*

beleza_infantil

Confesso que, quando era garoto, com dez ou doze anos, e a família ia a uma festa de casamento, eu achava a maquiagem da minha mãe algo meio estranho. Sempre dizia a ela que era mais bonita sem aquilo tudo, com a sua aparência natural. Continuo achando as mulheres mais belas sem maquiagem.

Escapar à ditadura da aparência fabricada não é tarefa fácil, mesmo para uma mulher segura de si. A mulher acaba sendo compelida a usar alguma maquiagem ainda que seja para sentir que está bem arrumada, que uma ocasião é especial ou só para “não ir de cara lavada”. No trabalho, a ausência de maquiagem pode ser tomada até como desleixo pelos pares.

Não é por acaso. Do outro lado da equação está uma industria de 243 bilhões de dólares por ano, e crescendo. Os orçamentos de publicidade são igualmente bilionários. Mesmo com um faturamento deste tamanho, o furor mercantilista de expandir os mercados consumidores não para jamais. Depois de uma tentativa de pouco sucesso de criar um novo estereótipo masculino – o metrossexual – o que fazer para vender ainda mais? O que fazer para criar novos consumidores?

Semana passada deparei-me, num Shopping Center, com a criação resultante desta questão: o salão de beleza infantil. E ainda anunciava realizar festas de aniversário, conseguindo a união do desprezível com o abominável. Um salão de beleza infantil serve não apenas para vender o serviço e os cosméticos a crianças, mas especialmente faz o papel de inculcar nelas que precisam de maquiagem para ficar bonitas. Fazer festas infantis num local assim só serve para multiplicar a pressão do ambiente: como seria possível para uma menina ir a uma festa dessas e optar por não se maquiar?

É um tanto natural que as crianças queiram copiar o comportamento dos pais. Em particular, meninas pedem para usar alguma maquiagem da mãe, eventualmente. Os pais sentem algum orgulho disso, é claro, e acham bonitinho. Mas cabe aos adultos decidir o que é ou não apropriado para uma criança. Se uma criança quiser provar uma bebida alcoólica, por exemplo, os pais negarão sem negociar. Ora, uma mulher que use maquiagem diariamente pode absorver, por ano, através da pele, até dois quilos de agentes químicos que vão direto para a corrente sanguínea. Vários produtos químicos presentes em cosméticos podem estar ligados ao câncer.

Adestrar meninas, desde a infância, a acreditar que precisam de maquiagem é danoso tanto para sua saúde quanto para sua autoestima. A mera existência de um salão de beleza infantil já seria de causar espanto, e festas de aniversário ali pioram o problema, por intensificarem o efeito. Como agravante, a maquiagem favorece a sexualização precoce das meninas, pela aproximação da sua aparência à de uma adulta. Meninas tornam-se, além de consumidoras dos cosméticos, elas próprias objetos de consumo: basta observar uso de pré-adolescentes em campanhas publicitárias de moda, por exemplo.

*Eduardo é acupunturista especializado em Acupuntura Japonesa, tem dois filhos, mora no Rio de Janeiro e pode ser encontrado no blog eduardomolon.com

Fonte da imagem: http://www.sxc.hu


Tags:  agentes químicos maquiagem saúde infantil

Bookmark and Share




Previous Post
Denúncia: Ades Max sugere situações perigosas para crianças
Next Post
Extra! Extra! Entrevista com Raquel Fuzaro



Mariana Sá




0 Comment

Sep 09, 2013

Isso ficou mais explícito com a onda Xuxa. E as mães babavam ver as filhas com as roupas e maquiagens da Xuxa. Era um massacre. Eu não sei se tem saída. O que parece estar internalizado nos pais é a nova Síndrome de Cinderela. Só que agora são os Reality Shows. A Monique Evans não viu problema algum em ver a filha trasando ao vivo para todo o Brasil, na Record. E ainda disse, se ela ficasse grávida ela apoiaria. Seja armação ou não é isso que se passa para a sociedade. Vale tudo por dinheiro. A maioria das mães já tem os planos traçados para suas filhas. Já vão dizendo: tem que encontrar homem rico. Se a filha for bonita, escuta isso desde a infância. Então, são os pais os responsáveis.


Sep 09, 2013

Eduardo, juro que me imaginei a última água mineral do deserto, capaz de criar imagens fantásticas com palavras, mas vc me superou e ponto final: “a união do desprezível com o abominável”. Era cliente de uma dermatologista muito competente, mas que quando olhava para mim já se viam as cifras piscando em seus olhos. Eu tratava de acne e ela ficava elogiando o fato de eu não ter rugas, pois SE TIVESSE o tratamento ideal seria blá blá blá. Um dia entrei em seu consultório e aquela lady sempre discreta estava visivelmente transtornada. Tanto que desta vez eu perguntei “Tudo bem?” Ela já foi dizendo que havia atendido a uma adolescente de 12 anos que queria fazer tratamento antienvelhecimento, a mãe estava junto apoiando o que a filha dizia e a médica dizendo que só lhe fazia duas recomendações: protetor solar e nenhuma maquiagem. As duas insistiram até a situação ficar insustentável e a terminou com a mãe dizendo que iria remarcar com a filha de 14, que queria colocar “fios de ouro nas marcas de riso”…eu também fiquei chocada e só consegui dizer “Acho que ela ainda nem riu tanto para ter marcas.”
Meu marido é artista plástico e desde que começamos a fazer feiras de trocas de brinquedos e livros, c/ Aliança pela Infância+MILC+Alana, ele faz pintura facial. Começamos isso em casa, com nossa filha de 4 anos (3 à época), que só queria saber de usar batom – já que é a única maquiagem que uso. ia apara a casa das primas de 10 ou 12 anos e lá estavam todas maquiadas e com unhas pintadas. Como ela voltava? Fantasiada de espantalho! porque é isso que a mim criança pintada parece, espantalho. Cá entre nós, muitas adultas tbm, dependendo da ocasião.


Sep 09, 2013

Em tempo: a pintura que Paulo faz é artística, com tinta para a pele e atóxica, com motivos infantis à escolha da crianças. Outro dia espalhei vááááários vidros de esmaltes diante de uma turma de 39 meninas entre 4 e 12 anos. Avisei que estavam vencidos e que íamos pintar ovos com eles. ADORARAM!!!! Mas os olhinhos brilhando p/ meter nas unhas foi o primeiro impulso. Depois que a pintura começou ninguém tentou pintar as unhas.


Sep 10, 2013

Amei o texto, pois reflete exatamente aquilo que penso sobre este tema. Parabéns pela sensibilidade.


Sep 10, 2013

Concordo. Pelo que percebo, as mães são influência direta pras crianças, vira uma bola de neve.


Dec 11, 2013

não penso o mesmo visitei esse site mas tenho nove anos e uso maquiagem :{ :> :<



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Denúncia: Ades Max sugere situações perigosas para crianças
No início de agosto, o Movimento Infância Livre de Consumismo foi contactado por um pai indignado com a mais recente propaganda...