campanhas / publicidade de alimentos / 19 de agosto de 2013

Por que somos ativistas da amamentação? Porque não há outra saída.

A amamentação é a promessa do desenrolar de uma bela história que começa na concepção, se arrasta pela gestação e cai no seu colo minutos após o parto. Com um corpo projetado para viver toda a novela da criação de um novo ser, a fêmea humana é capaz de carregar seu bebê e alimentá-lo por meses a fio exclusivamente com seu leite. Um belo dia, alguém esperto acha que é possível lucrar com esta bela história e, através de uma indústria poderosa, aparece com a ideia de que o leite materno não é assim tão bom. O pulo do gato consiste em criar uma nova demanda para uma fórmula (mágica?) que não é leite materno, mas até que parece, e vendê-la para o maior número de pessoas possíveis no planeta, precisem ou não do produto. Para ajudar a vender, entra a boa e velha propaganda, que banca publicações respeitáveis e até eventos médicos para convencer aquela mulher antes capaz de tudo de que ela não é capaz de nada. Depois do estrago feito e do lucro em caixa, chega a hora de falar na culpa da mulher que não consegue amamentar, seja por falta de informação, apoio ou algum problema orgânico muito, muito específico. O debate vira quase uma guerra onde dedos são apontados contra a quem amamenta e também contra quem não amamenta como se não estivéssemos todas no mesmo barco.

A questão, na verdade, deveria ser: quem lucra com essa história de culpa? Será que não é o mesmo esperto que lucra com a história da fórmula? Será que o melhor não seria se déssemos as mãos e lutássemos todas por mais informação e uma rede de apoio que nos ajudasse a voltar a sermos aquelas mulheres que nascemos para ser. As mulheres que podem tudo. Aquelas que geram, parem e alimentam por força da natureza?

Amanhã, 20 de agosto, termina a 2a. Blogagem Coletiva: Por que sou ativista da amamentação?, que começou no dia 10/8. Participem do debate vocês também!


Tags:  amamentação blogagem coletiva culpa não Por que sou ativista da amamentação?

Bookmark and Share




Previous Post
Minimalismo não tem nada a ver com coisas: destralhe sua mente
Next Post
Entre famílias, escolas e leis: o desafio da merenda escolar



Mariana Sá




You might also like




0 Comment

Aug 19, 2013

Vamos ajudar as novas mães a voltar a ser naturais…
E este assunto vai além dos limites de uma BC. Da minha parte estarei incentivando ao máximo, sempre que possível.
E vamos que vamos Vanessa!


Aug 20, 2013

Interessante sua opinião. Concordo em partes.

O leite materno é uma fonte suficiente para o bebê nos seus primeiros meses de vida. Ele não precisa de outra coisa. Mas vale a pena insistir na amamentação mesmo quando aquele momento, que era pra ser bom, passa a ser uma tortura para a própria mãe? Em alguns casos, depois de algumas empedramentos seguidos de complicações, a mãe precisa fazer até cirurgia pra tirar pus do peito. Vale a pena, mesmo depois disso, continuar a amamentação? Por que não simplificar a vida e partir para o leite em pó?

É claro que nos casos naturais (que é a maioria), não há necessidade disso. Mas e nos outros? Vale a pena sofrer?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



More Story
Minimalismo não tem nada a ver com coisas: destralhe sua mente
*Texto de Renata Kotscho Velloso, publicado originalmente no blog Cinese Sou casada, tenho 3 filhas, moro em uma casa...